Publicidade

“Paulo Câmara precisa explicar relações com a empresa envolvida na compra do avião”, cobra Paulo Rubem Santiago


O deputado federal Paulo Rubem Santiago (PDT), membro da Frente Parlamentar de Combate à Corrupção, cobrou nesta sexta-feira (29) explicações sobre o Caso Bandeirantes, envolvendo a empresa Bandeirantes Renovação de Pneus, que recebeu incentivos fiscais durante a gestão de Paulo Câmara na Secretaria estadual da Fazenda. A Bandeirantes está envolvida numa operação nebulosa de pagamento do avião utilizado pela campanha presidencial do PSB e que vitimou o ex-governador Eduardo Campos.

“É preciso esclarecer à sociedade que relações foram estabelecidas entre Paulo Câmara, então Secretário, e a empresa, na condição de pré-candidato e depois candidato a governador de Pernambuco”, ressaltou Santiago.

O deputado faz indagações sobre o porquê de o ex-secretário ter concedido incentivos fiscais, nunca dados antes nas condições asseguradas por ele, a uma empresa cujos sócios haviam sido denunciados pelo Ministério Público Federal (MPF) por crimes financeiros e de sonegação fiscal, que ensejariam 55 anos de reclusão.

Na época em que Paulo Câmara beneficiou a Bandeirantes, seu dirigente já era réu, acusada pelo MPF de ter sonegado cerca de R$ 100 milhões. “Como é que o ex-secretário da Fazenda aceita conceder incentivos a uma empresa nessas condições, dois anos depois de ter sido denunciada? E três anos após receber o benefício, esta mesma empresa se envolve agora na operação de compra do avião”.

“É preciso saber também se Paulo Câmara, como pré-candidato ou candidato, viajou nos aviões da empresa, um LearJet, até maio, e o Cesnna, de propriedade do sr. Apolo Santana Vieira”, questionou Rubem.

Assessoria de Imprensa de Paulo Rubem Santiago
Foto: Divulgação

Comentários

Publicidade