sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

Petrolândia: Ex-vereador Fabiano Marques comenta cenário político e administrativo do município ''um ano perdido'' (Áudio)

Fotos: Lúcia Xavier



O  ex-vereador de Petrolândia por quatro mandatos, Fabiano Jaques Marques (PTB) concedeu entrevista, ao vivo, a Assis Ramalho, durante o programa "Acordando com as Notícias", transmitido pela Web Rádio Petrolândia, na manhã da última quinta-feira (21). Na entrevista, com participação de ouvintes que encaminharam perguntas em tempo real, o empresário comentou vários assuntos de interesse da comunidade, entre eles o cenário político das eleições de 2018 e 2020.

Fabiano também respondeu a ouvinte que quis saber se será candidato a deputado e se já é pré-candidato a prefeito nas eleições municipais de 2020.

Também analisou a renúncia de Ricardo Rodolfo (PR) e os primeiros meses do governo de Janielma Souza (PSB). Ex-presidente da Câmara, ele disse que teve suas contas aprovadas pelo Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco (TCE-PE), criticou o fechamento da Agência do INSS, e, sem citar nomes, alfinetou o ex-prefeito Lourival Simões (PSB): ''Tem gente que já é inelegível politicamente pelo povo''.

Candidato derrotado pela diferença de 50 votos nas eleições de 2016 à prefeitura de Petrolândia, Fabiano também elogiou o grupo da Oposição e defendeu os deputados e candidatos que o apoiaram como os mais atuantes no município. O áudio da entrevista, na íntegra, está disponível no final da matéria.

Começamos a entrevista querendo saber sua opinião sobre a sucessão de Janielma Souza a Ricardo, prefeito eleito que renunciou em menos de um ano de mandato.

Na verdade, tudo que a gente previa, está se concretizando. Primeiro, porque na época [da campanha] a gente dizia que iria ser um ano difícil [2017] e tinha que ser uma pessoa preparada. E a eleição não era de nomes, a eleição era uma eleição de sistema. Não era a pessoa de Fabiano, não era a pessoa de Ricardo que iria disputar a eleição. Era a situação e a oposição. Por que, qual a vantagem de Fabiano Marques ganhar a eleição naquela época? Porque Fabiano era um candidato de oposição. Como ele era um candidato de oposição, ele teria condições de zerar o sistema, começar uma nova administração. O candidato Ricardo, na época, ele era um candidato de continuação, apesar de afirmar em todos os lugares que seria diferente, mas a gente sabia que política não se faz assim, administração não se faz assim. Então, ele carregava consigo um fardo de mais de 16 anos das mesmas administrações, ou seja, as mesmas pessoas que trabalhavam, o mesmo chefe de divisão, o mesmo diretor, o mesmo secretário, e, não querendo menosprezar nenhum deles, admiro todos, mas acredito que uma pessoa com 20 anos em um mesmo cargo, ela cansa, enfada e tem que ser dada oportunidade a outras pessoas. Então, era isso que a gente, na época, batia na tecla. Teria que ter uma pessoa da oposição para zerar o sistema e nós éramos essa pessoa. Apesar de ter tido quatro candidatos de oposição, com todo respeito aos outros, a gente teria um grupo maior, um grupo de, na época, seis vereadores, ex-candidato a prefeito, o grupo era muito encorpado e a gente sabe que em eleição a gente ganha política dessa forma, com um grupo respeitando as pessoas e com propostas.

Fabiano diz ter pedido a Ricardo para não renunciar, que Petrolândia teve um ano perdido e que o grupo que colocou Ricardo na prefeitura foi o mesmo a lhe fazer oposição, dando as costas para ele.

Um dia antes dele renunciar à prefeitura, ainda mandei uma mensagem para ele pedindo que não renunciasse, porque o povo tinha confiado a ele [comandar o município por 4 anos]. Pedi a ele, mas ele mandou uma resposta meio vaga, sugerindo que iria mesmo renunciar. Pedi para não renunciar  por que 7.224 pessoas confiaram o destino de Petrolândia ao candidato Ricardo Rodolfo, mas, infelizmente, ele renunciou. Acredito que esse ano de 2017 é para ser esquecido de sua história, foi um ano perdido, as pessoas me procuram e sempre dizem ''ele foi usado, não foi usado''. Eu acredito que não, acredito que ele sabia o que estava fazendo, porém, o principal problema é que, além de ter a oposição que ele já tinha, ele trabalhava com a própria oposição dentro do grupo que colocou ele lá. Ou seja, ele tinha padrinhos que colocou ele lá, e depois  deram as costas a ele, e começaram a mastigar e cortar ele por baixo. Então, acredito que isso tenha sido um dos principais motivos da renúncia do ex-prefeito, a quem tenho um grande respeito. Você sabe, Assis, que a gente faz política fazendo adversário e não inimigo. Tanto é que não tenho nenhum inimigo aqui em Petrolândia, tenho adversários.

Pedimos para que fizesse uma comparação dos meses de trabalhos de Ricardo e Janielma.

Praticamente a mesma coisa. O que diferencia são alguns atos, algumas atitudes, como, por exemplo, nós notamos que a prefeita Janielma, que eu quero dizer aqui que tenho um grande respeito, tanto por ela, quanto por Marquinhos, independentemente de política, são meus amigos pessoais, mas o que ela muda em relação ao ex-prefeito Ricardo é que ela não faz muita mídia, ela faz o feijão com arroz, o que é necessário, não vai para uma rua fazer uma selfie, e até eu sou muito cobrado nas ruas e me perguntam, e acho que você, talvez, iria perguntar, e eu já vou adiantar. As pessoas me perguntam o porque ela sofre menos ataques da oposição e o que eu acho é o seguinte: quando você bate e o outro rebate, aí você quer bater de novo, mas, quando você bate e a pessoa, como diz o outro, não dá ousadia, aí você termina cansando e é como eu falei anteriormente. Ela não faz muita mídia e quem não faz muita mídia, não recebe esse ataque todo. Outra coisa também é que o que parou, na verdade, não foram os vereadores de oposição de criticar. A crítica dos vereadores, as cobranças, existem como existia nos tempos do ex-prefeito Ricardo Rodolfo, e também na gestão passada, O que acontece é que, agora, os vereadores da situação pararam de bater. Antes era todo mundo, agora só é a gente.

Fabiano responde a ouvinte sobre o que ele acha de Petrolândia ter perdido a agência do INSS para Tacaratu.

É uma boa pergunta. A questão do INSS, ela vem de um longo tempo. Inicialmente, quando eu ainda era vereador, se não me falha a memória, entre o ano de 2012 ou 2013, foi oferecido [agência] para Petrolândia, Floresta e Tacaratu. Então o que era que o INSS queria na época? Na época tinha dinheiro para construir a agência, mas eles necessitavam que a prefeitura mandasse um projeto para a Câmara para ser aprovado a doação de um terreno para a construção. E a gente [a Câmara] esperou ao longo de algum tempo, assim que chegou na Câmara, todos os onze vereadores aprovaram por unanimidade a doação do terreno que iria beneficiar a população de Petrolândia. O terreno era ao lado da Academia das Cidades, mas depois de muito tempo a gente foi surpreendido, ficamos sabendo que o terreno não era mais ali, era por trás do Cemitério, em uma rua que a gente nem conhecia.  E quando foi regularizado, quando a prefeitura disse ao INSS que estava tudo pronto, aí já era tarde. Já tinha sido efetuado a [agência] de Floresta, a de Tacaratu e aí o INSS disse não tinha mais o dinheiro para construção de uma outra agência. Que a prefeitura teria que organizar e aperfeiçoar aquele ponto ao lado do Centro Cultural para funcionar ali a agência. Foi quando a gestão do Ricardo começou, eu não era mais vereador mas acompanhei, primeiro houve uma ameaça de fechamento e depois o fechamento. Mas agora eu quero falar do X da questão. Saiu na mídia que o deputado [federal] Augusto Coutinho e o deputado [estadual] Alberto Feitosa, foram em Brasília e tal e tal. O fato é que o nosso deputado Zeca [Cavalcanti] também foi ao presidente do INSS, e teve a garantia de o aluguel de um prédio, que é o prédio de Armando, ali perto do Comercial Cavalcante [av. Auspício Valgueiro de Barros]. E eu quero falar por que eu vi nas redes sociais o pessoal dizer que o seguinte: ''está perto de eleição, e está tudo mundo se oferecendo para conseguir essa agência''. Ora, o deputado Zeca Cavalcanti não se ofereceu para isso não. Eu me lembro bem, que a pessoa que me procurou foi Maria Helena, amiga nossa, e suplente de vereadora, e disse ''Fabiano, vamos falar com Zeca Cavalcanti, que a agência está fechando, e como ele é nosso deputado, ele foi votado em Petrolândia, e é o dever dele''. E isso foi feito, passamos para o deputado Zeca, em uma quinta-feira, e no dia que fomos para Petrolina, resolver na Codevasf sobre um trator que está para vir para cá, e o deputado Zeca ligou pra mim e disse ''Fabiano, eu estou aqui no gabinete do presidente do INSS, e quero que você me diga aí o valor de aluguel, que eu vou entrar agora, para falar com ele. E o presidente do INSS prontamente disse ''Não Zeca, se o problema é esse está resolvido, o senador Armando Monteiro também participou da conversa. Então eu acho uma injustiça as pessoas dizerem que o cara está se oferecendo, por que é tempo de eleição. E se a gente não procurasse Zeca para resolver, o que era que iriam dizer '' e aí, cadê os deputados de vocês'' ou seja: Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come''. Mas a verdadeira história é essa. Também não vou desmerecer aqui o deputado Augusto Coutinho. Por que se foi um, se foi dois, se foi três, que conseguiram, parabéns para eles, parabéns para Petrolândia.O importante é resolver a situação, e está sendo resolvido.


Fabiano responde a ouvinte que quis saber se ele poderia sair como candidato a deputado nas eleições do próximo ano, e se será candidato a prefeito nas eleições municipais de 20120.

 Eu já tenho candidato a deputado estadual e a deputado federal. O meu deputado estadual é Rodrigo Novaes, e o meu deputado federal é Zeca Cavalcanti. Sobre [especulações de] Rodrigo ir para federal, o prego já está batido, ele vai ficar como estadual. As chances de não ser isso, é negócio de meio por cento, um por cento. Realmente eu recebi alguns pedidos para sair como deputado estadual, inclusive do próprio Rodrigo, quando se especulava que ele poderia ir para federal. Também ele me pediu para sair como federal, para fazer a dobradinha com ele. Mas eu disse a ele que eu era un saudado dele, mas também disse que era meu desejo não entrar, por que sair agora de uma eleição, em 2016. Então, o nosso candidato a deputado estadual é Rodrigo Novaes, o nosso candidato a federal é Zeca Cavalcanti. A possibilidade de Fabiano ser candidato a deputado, é zero. Pode ser que um dia, lá na frente. Sobre se já sou candidato a prefeito, veja só. Foi um grande prazer em ser escolhido pelo povo para ser candidato a prefeito em 2016. Quem é político não precisa de mandato, para está fazendo política. Como a gente vem fazendo. Como político, eu faço parte de um grupo que é lógico, e evidente, que esse grupo vai lançar um candidato a prefeito, a vice, e uma chapa de vereadores. Agora, se vem o caso de ser Fabiano, de ser Rogério, de ser Carlinhos, ou, outra pessoa que não seja nem do grupo. Necessariamente, nosso candidato não precisa ser quem está hoje no grupo não. Pode ser uma pessoa que chegue para entrar no grupo para somar, e para ganhar a eleição.

A nossa reportagem quis saber quem seriam essas pessoas fora do grupo

São pessoas que vocês, a mídia, nem a classe política de Petrolândia nem ninguém imagina que possa ser um candidato a prefeito.

Procuramos saber se, particularmente, ainda tinha pretensão de disputar a prefeitura e um dia ser prefeito de Petrolândia.

Tem um ditado que diz que toda Paquita quer ser Xuxa, então não há como negar que a gente sempre tem aquele desejo dentro de nós de um dia ser prefeito, de um dia ser algo mais do que um vereador. Até por que eu nunca fui um executivo, sempre fui um legislativo, 16 anos como vereador, e 8 anos como presidente da Câmara.

Contas aprovadas pelo TCE

Tenho o prazer de lhe dizer, Assis, que recebi, agora, um certificado do Tribunal de Contas (TCE), dizendo que o meu nome está todo limpo. Minhas administrações foram passadas tudo pelo Tribunal de Conta, e é uma satisfação pra gente.

Sobre o adiamento das prestações do contas do ex-prefeito Lourival Simões, Fabiano disse não querer opinar mas, sem citar nome, alfinetou o ex-gestor do município.

Tem gente que já é inelegível politicamente pelo povo. Tem pessoas que o povo já rejeito, não precisa ter um documento dizendo que ele não pode (ser candidato). 

Fabiano Marques ainda falou sobre ações do seu grupo político desenvolvido no município, respondeu a mais perguntas de ouvintes, opinou sobre a obra do bairro Nova Esperança, fez análise dos trabalhos dos atuais vereadores, entre outros assuntos pertinentes ao município de Petrolândia.


Redação do Blog de Assis Ramalho


0 comentários:

Postar um comentário