Publicidade

Petrolândia lança projeto de fortalecimento para a guarda municipal; Assis Ramalho entrevista Coronel Rossini



Está sendo executado em Petrolândia o projeto de fortalecimento das ações de prevenção à violência, que está sendo ministrado pelo Major Reinaldo, da 4a. CIPM, e o oficial do Corpo de Bombeiro Militar, Coronel Maurício Rossini.

O projeto tem como principal objetivo, capacitar a Guarda Municipal. Para isso, estão sendo ministrados cursos especiais que tiveram início nesta quinta-feira (26). Em entrevista ao Blog de Assis Ramalho, o coronel Maurício Rossini, explicou os detalhes. Acompanhe abaixo:

Assis Ramalho: Coronel Rossini, qual a importância deste projeto para o município de Petrolândia?

Coronel Rossini: A importância deste projeto se dá logo pelo seguinte: quando a gente fala em segurança pública, a gente sempre pensa que a questão é só da polícia. O enfrentamento, o combate à violência. Mas antes de fazer um combate à violência e à criminalidade, tem uma etapa que é extremamente importante, que é a etapa da prevenção. A prevenção à violência, à criminalidade, às drogas. E é neste contexto que este projeto vem, justamente para implantar uma política municipal de segurança integrada com as forças policiais já existentes. A Polícia Militar, Civil, entre outras, focadas principalmente no fortalecimento da Guarda Municipal, integradas a esses órgãos na prevenção à criminalidade e principalmente na prevenção às drogas. E quando se fala em droga, a gente trabalha no campo da droga ilícita, mas também da droga lícita, que é o álcool, que é uma droga que traz consequência para a nossa sociedade.

Assis Ramalho: E o mais importante de tudo isso, neste projeto, é a capacitação da Guarda Municipal. Verdade?

Coronel Rossini: É verdade. Esse projeto é um projeto amplo, que prevê a estruturação da Guarda Municipal com aparelhamentos, e ele tem três metas. Primeira meta é o reaparelhamento com estruturação. Não só de veículo, como de rádios de comunicação. Porque tem que haver uma comunicação imediata com os órgãos policiais, porque existe uma integração muito franca com a Companhia Independente, com o Major Reinaldo, neste sentido. A segunda meta é a qualificação, que é a capacitação da Guarda. Porque a Guarda deve sempre trabalhar num viés patrimonial, mas também num viés comunitário, se integrando ainda mais com a sociedade para poder, assim, atuar preventivamente. A terceira meta é justamente a que busca a criação do Conselho Municipal de Segurança Comunitária e Prevenção às Drogas. Então aí vai passar por um processo comunitário, onde vai mobilizar pessoas que possam contribuir, através do Conselho Municipal, para amenizar os problemas da violência no município. Então, é uma política de segurança pública municipal
que está se implantando no município de Petrolândia.

Assis Ramalho: Como é que vão ser realizados os trabalhos com a Guarda Municipal nestes próximos dias?

Coronel Rossini: A agenda vai ser a seguinte: já se iniciam imediatamente os cursos focados na Guarda Comunitária, para que eles percebam qual é o papel da Guarda junto à sociedade. E como Petrolândia tem uma orla belíssima, onde cada vez mais o turismo tem se intensificado no município, então vai ter um curso específico para que os guardas possam atuar como guarda-vidas, em apoio a atividades de Corpo de Bombeiros, principalmente quando houver grandes eventos. E vai ter um curso que vai focar muito na prevenção às drogas, à violência e à criminalidade. Além destes cursos, estamos tentando viabilizar cursos de defesa pessoal e na questão do motopatrulhamento. Cursos que possam contribuir para a melhoria da qualidade da Guarda Municipal.

Assis Ramalho: Coronel, recentemente, parte da Guarda de Recife ganhou o direito de trabalhar armada, coisa que tem gerado uma certa polêmica. O Coronel Rossini é a favor ou contra a Guarda usar arma?

Coronel Rossini: Olha, a gente tem que se apegar à questão da lei. A lei, ela diz o seguinte: que a Guarda Municipal, através do Estatuto do Desarmamento, a lei cita que a Guarda Municipal que pertencer a um município que tenha mais de 50 mil habitantes, ou se pertencer a região metropolitana, ela está autorizada (a portar arma), desde que passe por um processo de capacitação e tenha uma autorização da Polícia Federal. Então é permitido por lei que a Guarda use armamento, desde que preencha os pré-requisitos que eu citei, e que estão previstos no Estatuto do Desarmamento.

Redação do Blog de Assis Ramalho

Comentários

Publicidade