Publicidade

Assassinato de radialista em Lagoa de Itaenga gera repercussão na Alepe

Deputado Henrique Queiroz levou assunto à Alepe (Foto: Roberto Soares)

A morte do radialista Israel Gonçalves da Silva, assassinado, nesta terça (10), em Lagoa de Itaenga, Zona Mata Norte, foi comentada pelo deputado Henrique Queiroz (PR), na Reunião Plenária. O crime ocorreu dentro de uma loja em frente ao Fórum do município. O comunicador atuava no programa Microfone Aberto, da Rádio Itaenga FM, dedicado a discutir os problemas da cidade. A suspeita, levantada pelo parlamentar, é de que o trabalho de Israel tenha incomodado grupos armados que atuam na região.

“Um crime desses cala a população, que fica com medo de prestar informações à polícia. Se criminosos fazem isso com uma pessoa que tinha o poder de ter voz numa rádio, podem fazer isso com qualquer cidadão”, declarou. Queiroz relatou que se encontrou com o governador Paulo Câmara para cobrar providências sobre o caso. “O gestor estadual explicou que foi designado um delegado especial para apurar a ocorrência. Recebi a informação que quatro suspeitos já foram detidos pela força-tarefa responsável”, anunciou.

A família do radialista recebeu a solidariedade de Edilson Silva (PSOL), Tony Gel (PMDB), Pastor Cleiton Collins (PP), Botafogo (PDT) e Romário Dias (PTB). Botafogo e Romário Dias destacaram a grande quantidade de crimes que vêm acontecendo na Mata Norte e no Estado. “Apenas no último fim de semana, 48 pessoas foram assassinadas em Pernambuco”, apontou o petebista.

Pastor Cleiton Collins, Tony Gel e Botafogo lembraram que o cidadão deveria se desarmar. “Quando falamos da questão do desarmamento, é porque notamos que está faltando paz. Queremos fazer, inclusive, um movimento de troca de armas por bíblias, com acompanhamento do Estado”, sugeriu Collins.

O presidente da Comissão de Cidadania, Edilson Silva, colocou-se à disposição para prestar solidariedade e acompanhar as investigações, atendendo a um pedido de Henrique Queiroz. “Esperamos uma solução, como ocorreu com a chacina de Poção, em que o caso foi elucidado”, declarou o deputado.

Alepe

Comentários

Publicidade