Publicidade

Estudante de 16 anos é morto com tiro de fuzil disparado por policial militar em Escada (PE)

Jovem foi morto em frente a uma agência do Banco do Brasil, na Rua Comendador José Pereira

Um estudante de 16 anos foi morto com um tiro de fuzil disparado por um policial militar na noite dessa terça-feira (16), no município de Escada, na Zona da Mata Sul de Pernambuco. Marcelo Lauriano Gomes Filho estava dirigindo a caminhonete S10 do pai acompanhado pelo irmão de 19 anos e dois amigos, de 18 e 19 anos.

De acordo com a polícia, o jovem trafegava pela Avenida Comendador José Pereira, no bairro do Maracujá, quando avistou uma viatura da Companhia Independente de Operações e Sobrevivência em Área de Caatinga (Ciosac) em frente a uma agência do Banco Santander e tentou manobrar para fugir. Os policiais mandaram Marcelo Lauriano para duas vezes, mas ele não parou e um PM atirou. Atingido na cabeça, o estudante morreu no local.

O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) explica que ainda é necessário esperar o laudo dos exames periciais para confirmar de onde partiu o disparo que matou o jovem. "Ainda não temos como precisar de onde partiu esse disparo. As informações iniciais serão aprofundadas", disse o gestor da Força-tarefa, Neemias Falcão, que explicou que o caso será conduzido pela Delegacia de Escada.

Neemias afirmou ainda que as informações de que a polícia abordou o veículo do estudante foi registrado no Boletim de Ocorrência, mas apenas a perícia do Instituto de Criminalística (IC) determinará se o disparo foi feito por um policial militar. "Ficando configurada a participação de um policial ou de qualquer pessoa, será a ela atribuída a condenação legal", disse. A caminhonete S10, que está na Delegacia de Escada, também passará por perícia.

A Polícia Militar confirma o caso, mas declara que o tiro foi acidental e o carro estava parado em frente a um banco antes da abordagem. O corpo do jovem foi encaminhado ao Instituto de Medicina Legal (IML) no bairro de Santo Amaro, área central do Recife.
Do JC Online

Comentários

Publicidade