Publicidade

Diretor de Revitalização da Codevasf destaca parceria para conservação de espécies de peixes nativas da bacia do rio São Francisco


Foto: Divulgação/Ministério da Pesca e Aquicultura


O diretor da Área de Revitalização de Bacias Hidrográficas da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), Eduardo Motta, destacou, nesta quinta-feira (05), a importância da parceria firmada pela Companhia com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), órgão ambiental do governo federal, voltada para ações de conservação de espécies de peixes nativas da bacia do rio São Francisco. Eduardo Motta explicou que, inicialmente, a Codevasf buscou o ICMBio para obter uma autorização para trabalhar com espécies nativas do São Francisco.

“Com esse fator limitante, a Companhia buscou a direção nacional do órgão credenciando os Centros de Aquicultura e Recursos Pesqueiros da Codevasf e sua equipe técnica, para que eles, como pesquisadores específicos dessas espécies em extinção, pudessem ser habilitados a trabalhar com essas espécies”, destaca.

Segundo o diretor, a parceria estabelecida com o ICMBio resultou não só na autorização da Codevasf trabalhar com espécies de peixes nativas do São Francisco, mas em um convite para participação da Companhia no Plano de Ação Nacional para Conservação de Espécies Ameaçadas de Extinção da Fauna Aquática da Bacia do Rio São Francisco (PAN São Francisco).

“O plano é muito importante para nós porque trabalhamos com esse enfoque ambiental e também comercial, desde 1979, e não poderíamos, diante da nossa experiência, conhecimento e expertise, deixar de trabalhar com essas espécies estratégicas para nós, tanto para recuperação dos recursos pesqueiros e recuperação da ictiofauna nativa do São Francisco, quanto para impulsionar a pesca e a manutenção da biodiversidade, principalmente, porque estamos levantando a bandeira internacional da preservação do Pirá, peixe símbolo do São Francisco”, ressalta.

O diretor também ressaltou a parceria de intercâmbio técnico e acadêmico firmada com a Universidade de Auburn – sediada no estado do Alabama, nos Estados Unidos, voltada para a troca de conhecimentos em aquicultura e pesca.

“Essa parceria vai nos ajudar no restabelecimento do pirá, espécie que hoje está em grave processo de extinção, já extinta no Baixo São Francisco e no Submédio São Francisco. O pirá, atualmente, existe em pequena quantidade no Médio São Francisco e está já em declínio no Alto São Francisco e alguns afluentes de Minas Gerais, como o Paracatu”, explica. “Já temos o apoio de universidades como a Universidade Federal de Sergipe (UFS) e Universidade Federal de Alagoas (UFAL), e estamos imbuídos na salvação do Pirá, peixe símbolo da bacia do rio São Francisco e espécie que só existe no planeta na Bacia do Rio São Francisco.

A Companhia possui atualmente sete Centros Integrados de Recursos Pesqueiros e Aquicultura na bacia do rio São Francisco e está concluindo o Centro de Referência em Aquicultura e Recursos Pesqueiros na Bacia do rio Parnaíba – este voltado para espécies estuarinas e marinhas.
Ouça a entrevista: https://soundcloud.com/codevasf/diretor-de-revitalizacao-destaca-importancia-da-conservacao-de-especies-nativas-do-sao-francisco

Mais informações: http://www.codevasf.gov.br

Assessoria de Comunicação e Promoção Institucional da Codevasf

Comentários

Publicidade