quarta-feira, 19 de março de 2014

Deputado federal Fernando Ferro rebate, em discurso na Câmara, declarações de Eduardo


O deputado federal Fernando Ferro (PT-PE) rebateu, na tribuna da Câmara, as críticas feitas pelo Governador Eduardo Campos ao governo e à atuação do PT.

"Sr. Presidente, Sras. e Srs. Parlamentares, nós temos visto e ouvido nos últimos dias o discurso, por parte da Oposição e da mídia, sobre orisco de hegemonismo do PT, o risco de o PT transformar o Brasil numa espécie de Venezuela. Esse é um tratamento preconceituoso do processo eleitoral e contrário à democracia.
A hegemonia, quem a concede é o povo, com o voto, não são articulações políticas superficiais ou artificiais. Se o PT chegou aqui e tem a maior bancada de Deputados Federais, é porque ele teve votos, teve o reconhecimento da população. Então, é melhor arranjarem outro tipo de argumento para qualificar o debate.
Ouvi inclusive do Governador de Pernambuco e de Marina Silva que era preciso combater o bolivarianismo do PT. Ora, que absurdo a Marina, que surgiu do PT, que não seria o que é se não tivesse sido petista, vir com esse tipo de preconceito e de argumento contra o Partido dos Trabalhadores.
Eu lamento que o nível do debate eleitoral esteja descambando para ataques, como o que vimos por parte do Governador de Pernambuco, que disse quea Presidenta Dilma distribuiria cargos como se fossem bananas ou laranjas.
Ora, Dr. Eduardo Campos, essa uma forma ingrata chamar os seus aliados de tais frutas, como ocorreu com Fernando Bezerra Coelho. Será que ele é um banana? Ou um laranja? Há pouco tempo estava no Governo.
É melhor nós qualificarmos do que reduzirmos o debate, para a expectativa eleitoral não tomar conta emocionalmente da discussão.
Recentemente, numa rádio de Pernambuco, ouvi o Sr. Eduardo Campos dizer que o Presidente Lula escolheu uma pessoa que nunca disputara um cargo de Vereador para ser candidata à Presidente da República. Ora,ele, em Pernambuco, indicou para ser o candidato a Governador um funcionário do Governo, da área tributária, que nunca disputou sequer eleição para síndico.
Então, não dá para usar este tipo de argumento, não dá para acusar fazendo o mesmo em casa.
Qualquer político, qualquer pessoa que exerça um cargo público e que tem competência pode ser candidata. Isso faz parte da democracia. Então, que melhore o nível de argumentação e não faça esse tipo de ataque rasteiro. Isso não contribui para a democracia, nem para as nossas relações.
Eu espero que a ansiedade eleitoral não termine por reduzir a qualidade da discussão. Sem sombra de dúvida, nós sabemos que a tensão e a emoção aceleram os ânimos e terminam provocando intempéries verbais como as quetemos ouvido. Agora, a pessoa tem que ter um mínimo de coerência para cobrar dos outros.
Assim, espero que quando fizer as suas reuniões, como fez ontem com os Prefeitos em Recife, não diga que a Presidenta Dilma estáse expondo exageradamente, que já está em campanha, porque ele mesmo faz isso diariamente em Pernambuco, na condição de Governador. É direito dele, como Governador, apresentar-se, sugerir suas realizações administrativas, expor-se, porque, afinal, também ele é um animal político. Agora, que não venha criticar os outros pelo que faz cotidianamente na atividade política do Estado. Isso não depõe para a seriedade das suas pretensões.

Por isso, Sr. Presidente, quero reconhecer e crer que isso é muito mais o arroubo eleitoral que tomou conta do discurso, talvez um pouco desesperado, por falta de maior expressão, mas que não deve ser levado em conta nas relações que vamos trabalhar aqui nesta Casa.
Muito obrigado, Sr. Presidente."

Assessoria de Imprensa do deputado federal Fernando Ferro

Nenhum comentário:

Postar um comentário