quinta-feira, 8 de maio de 2014

Humberto Costa desafia Aécio a revelar suas medidas impopulares


O líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), desafiou, nesta quarta-feira (7), o pré-candidato do PSDB, Aécio Neves (MG), a revelar ao país as medidas impopulares que disse estar disposto a tomar caso seja eleito presidente da República. A revelação de Aécio foi feita a banqueiros e empresários num jantar oferecido por eles, em São Paulo, ao tucano.

Comparando as gestões dos governos Lula e Dilma com os oito anos do PSDB, Humberto listou, da tribuna do Senado, as conquistas alcançadas pelos governos do PT relacionadas a emprego, renda, economia, controle da inflação, programas sociais, moradia e educação, demonstrando que os resultados conquistados pelos petistas foram muito mais expressivos do que os da gestão do ex-presidente tucano Fernando Henrique Cardoso (1995-2002).

O líder do PT lembrou que Aécio Neves disse, dividindo a mesa com banqueiros e outros representantes da elite do país, que, em um eventual mandato seu, não teria nenhuma preocupação em tomar 'medidas impopulares'. “Temos de perguntar ao senador Aécio que medidas impopulares são essas. Nós vamos voltar para o desemprego? Nós vamos voltar para o arrocho salarial? Nós vamos voltar para o crescimento da desigualdade?”, questionou.

Humberto acredita que o governo do PSDB seria marcado, mais uma vez, pela "mão dura contra o trabalhador, os direitos e conquistas trabalhistas e movimentos sociais". "Como no passado, essa é a prova de que o PSDB não quer se comprometer com programas sociais como o Bolsa Família e como o Mais Médicos, e que vai insistir na política de distribuir lucros para os mais ricos em prejuízo dos mais pobres”, afirmou.

O líder do PT também criticou a ação ajuizada pelo PSDB no TSE pedindo a aplicação de multa por suposta propaganda eleitoral antecipada feita pela presidenta Dilma Rousseff. No último pronunciamento em cadeia nacional, ela determinou a correção da tabela do Imposto de Renda em 4,5% para o próximo ano e a atualização dos benefícios do Bolsa Família em 10%.

“Eles não corrigiram 1% – nem 1%, nem 1% – desses limites para isenção do Imposto de Renda durante seis anos no governo FHC. Na época em que governava o Brasil, o PSDB ia à televisão e ao rádio para falar de crise econômica, de crise financeira, da instituição de multas e impostos, de racionamento de energia elétrica, em razão dos tantos apagões que assolavam este País”, afirmou. “Quando ouvirmos um tucano falar de uma proposta nova, de uma mudança que quer fazer, precisamos perguntar: por que não fizeram no tempo em que eram governo?”, declarou.

De acordo com o senador, os governos Lula e Dilma têm muitas conquistas reconhecidas pela população, entre elas o pagamento de toda a dívida do país ao FMI, a retirada de 36 milhões de brasileiros da linha da extrema pobreza, a redução nas tarifas de energia elétrica, a vitória na partilha do campo de petróleo de Libra, os avanços nas políticas de gênero e nas de igualdade racial.

Humberto acredita que o povo brasileiro não quer mudar para o passado e, por mais que a oposição tente desgastar o governo, tem "convicção absoluta de que o povo brasileiro quer continuar mudando, marchar, seguir em frente, avançar e não vai considerar essas propostas de retorno ao passado".

Assessoria de Imprensa do Senador Humberto Costa

Nenhum comentário:

Postar um comentário