segunda-feira, 17 de setembro de 2018

Professora é morta a facadas pelo ex-companheiro no Ceará; é o segundo caso em um mês na mesma cidade

Professora Cidcleide Bezerra foi morta pelo ex-companheiro dentro de casa no interior do Ceará — Foto: Aquivo Pessoal-Reprodução/TVM

Uma professora foi morta a golpes de faca neste domingo (16) na cidade do Crato, no Ceará. Segundo a Polícia Civil, o suspeito é o ex-companheiro da vítima, que tentou se matar após o crime.

Foi o segundo caso semelhante registrado em menos de um mês na cidade. No dia 19 de agosto, a professora Silvany Inácio de Souza de 25 anos, foi assassinada com um tiro pelo ex-companheiro no meio de uma praça do município.

Conforme a polícia, a educadora Cidcleide Bezerra Campos, de 44 anos, morta neste domingo, foi atingida pelo homem dentro de casa após uma discussão entre eles. Vizinhos do casal perceberam a briga e acionaram a polícia.

No entanto, quando os policiais militares chegaram ao local, já localizaram o corpo da vítima no chão da residência. O homem, identificado como Francisco Zilmário Figueireido, também estava no local com um ferimento à faca. A polícia disse que ele tentou cometer suicídio após a morte.

O homem foi socorrido a um hospital da região, onde segue internado. A arma do crime foi apreendida pela polícia.

Um inquérito policial foi instaurado na Delegacia de Defesa da Mulher do Crato. O autor do crime deve responder por feminicídio, de acordo com a polícia.

Assassinatos das professoras chocam população

Professora Silvany foi morta pelo ex-marido em agosto. — Foto: Reprodução/TV Verdes Mares

Moradores da cidade do Crato ficaram chocados devido aos assassinatos das professoras. A presidente da associação de moradores do Bairro São Miguel, Socorro Justino, era amiga do casal e lamentou o ocorrido. Ela afirmou que a vítima havia descoberto uma traição do companheiro e, durante a discussão, ocorreu o crime. Outros moradores do local lamentaram o ocorrido.

Há menos de um mês, a professora Silvany Inácio de Souza foi assassinada om um tiro no peito durante a festa da padroeira do Crato, na Praça da Sé. O suspeito foi preso com três armas.

Durante o velório da educadora, cerca de 300 pessoas participaram de um protesto contra o assassinato. Entre os manifestantes, muitas mulheres fizeram questão de mostrar a revolta contra a morte da professora.

Contra o feminicídio

Após a morte da professora Silvany, a Câmara dos Vereadores de Crato aprovou um projeto para instituir o ensino dos princípios da Lei Maria da Penha nas escolas do município. O objetivo é debater temas e educar os estudantes sobre a violência doméstica e familiar contra a mulher. O projeto de lei recebeu o nome de 'Lei Silvany', em homenagem à professora.

A proposta deve colocar o ensino sobre a lei contra a violência familiar no currículo regular das escolas municipais. Serão desenvolvidos trabalhos, pesquisas e ações para debater o tema com os alunos. Os professores também devem receber uma formação específica para abordar o assunto.

Por: G1 CE


0 comentários:

Postar um comentário