sexta-feira, 17 de agosto de 2018

Oitenta e nove aves apreendidas no Agreste são entregues à CPRH


Apreensões foram feitas pela Cipoma e Polícia Civil, sendo 77 delas – incluindo duas de espécies ameaçadas – em Garanhuns e doze em Caruaru (Foto: Arquivo/CPRH)


O Centro de Triagem de Animais Silvestres de Pernambuco (Cetas Tangara), da Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH), aguarda para a noite desta sexta-feira (17) a chegada de 89 aves que foram apreendidas pelas polícias Militar e Civil, nos municípios de Garanhuns e Caruaru, Agreste do Estado. São pássaros de diversas espécies, entre eles três seriemas – ave típica do cerrado brasileiro –, um papagaio-verdadeiro e um aracuã (espécies ameaçadas). Todos foram resgatados de cativeiro, de onde iriam, provavelmente, para pontos de comercialização do tráfico. Equipes da CPRH foram aos municípios acolher os animais e farão o transporte para o Cetas, onde eles serão reabilitados e, em breve, retornarão à natureza.

A maior apreensão aconteceu em Garanhuns. Nada menos que 77 aves foram encontradas numa residência do bairro Boa Vista por policiais da Companhia Independente de Policiamento do Meio Ambiente (Cipoma), da Polícia Militar. Entre eles, 14 galos de campina, 11 tico-ticos, oito cardeais (sendo um cardeal-amarelo, exótico, com ocorrência na Argentina e no Uruguai), seis azulões, dois canários-da-terra, um papagaio-verdadeiro, um aracuã e as três seriemas. A ofensiva da Cipoma ocorreu na noite da quinta-feira (16) e as aves foram levadas para a Unidade Integrada de Gestão Ambiental (Uiga-Garanhuns), braço da CPRH na região. O responsável será autuado e receberá multa de aproximadamente R$ 50 mil.


Já em Caruaru foram apreendidas doze aves: dois salta-caminhos, dois galos-de-campina, dois azulões, um sábia, um mané-mago, um caboclinho, um papa-capim, uma patativa e um fuscão-preto. A apreensão foi nesta sexta (17) e ocorreu a partir de uma denúncia de interceptação de celular roubado. Policiais civis da 1ª Delegacia da cidade se dirigiram a uma residência do bairro de Indianópolis para investigar e, chegando ao local – uma casa com uma espécie de mercearia e bar funcionando – não encontraram o equipamento. Constataram, contudo, a presença das aves em cativeiro, cada uma em gaiola individual, indicativo que estariam prontas para serem comercializadas. O casal responsável foi levado à Delegacia e vai responder a um Termo Circunstancial de Ocorrência (TAC).

SOCÓ-BOI – Também nesta tarde, a CPRH recebeu, por entrega voluntária, um socó-boi (Trigrisoma lineatum), ave que habita áreas alagadas – rios, mangues e córregos – e que ocorre em grande parte do território brasileiro. Com a asa direita quebrada, o pássaro foi encontrado por moradores do Conjunto Residencial Ignêz Andreazza, próximo ao Bairro da Estância, no Recife. Foi entregue à Agência pelo taxista Eraldo Marques dos Santos, que tomou a iniciativa ao ver a ave quando foi levar um passageiro ao conjunto. O socó já foi encaminhado ao Cetas Tangara para avaliação e tratamento.

Núcleo de Comunicação Social e Educação Ambiental - NCSEA
Agência Estadual de Meio Ambiente - CPRH


0 comentários:

Postar um comentário