quinta-feira, 9 de agosto de 2018

Acertado, Inter aguarda Fla e mantém cautela antes de assinatura com Guerrero


O Inter chegou a um acerto com Paolo Guerrero na última quarta-feira, em uma reunião no Rio de Janeiro com representantes do peruano e do grupo DIS, fundo de investimetno que o ajudará a bancar o reforço. O acordo alinhavado por três temporadas deixa o clube a detalhes de realizar um sonho antigo ao fazer o anúncio da contratação do centroavante de 34 anos. Mas o estágio avançado na tratativa não tira a cautela da diretoria colorada com as negociações.

E graças ao imbróglio ainda presente na situação do atleta com o Flamengo. O Inter aguarda não apenas o fim do contrato do peruano com o clube carioca, nesta sexta-feira, 10 de agosto. Há ainda uma possibilidade – cada vez mais remota – de que o jogador entre em acordo com o Fla para renovar seu contrato e estender sua permanência na Gávea.

De acordo com o que o GloboEsporte.com apurou com fontes ligadas à diretoria colorada e que participam das negociações, há otimismo pleno de que o acordo costurado será concretizado. O termo utilizado é de que Guerrero "ainda" não é reforço do clube. E só não será em caso de um acerto improvável de última hora com o Fla.
Em seus últimos dias de contrato na Gávea, Guerrero tomou a iniciativa de procurar o presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, para tentar um acordo para a renovação, como informou o GloboEsporte.com. Por telefone, o centroavante reforçou que não aceitava mais um ano e meio de contrato, como queria o clube, mas que toparia dois anos e meio. A contraproposta foi levada ao departamento de futebol e ao diretor geral Bruno Spindel. No dia seguinte, o Flamengo informou que não mudaria a proposta final.

Foi o sinal verde que o Inter esperava para avançar as tratativas com o atacante. O clube de Porto Alegre apresentou uma proposta de três anos para o jogador, com salários mais baixos, mas com metas de participação em jogos e outras variáveis. Uma reunião nessa quarta-feira com um investidor garantiu a operação financeira para a contratação de Guerrero.

O salário oferecido pelo Colorado é de cerca de R$ 500 mil, abaixo do pretendido pelo peruano. Assim, as cláusulas de risco e produtividade, mais o pagamento de luvas pela assinatura, a serem quitadas em parcelas, eleverão os vencimentos mensais à casa de R$ 800 mil.

As altas cifras envolvidas no negócio só poderão ser cumpridas com o aporte do Grupo DIS, do empresário Delcir Sonda, que já ajudou o Colorado em outras contratações, como as de D’Alessandro e Nico López. A convicção vermelha está no fato de que o centroavante pode gerar ganho desportivo e também em projetos de marketing. É pública a dificuldade financeira pela qual vive o clube, com déficit de mais de R$ 60 milhões na temporada passada.

O Inter ainda tratou de se prevenir de quaisquer contratempos que possam haver com a suspensão de 14 meses por doping imposta ao peruano pelo Tribunal Arbitral do Esporte (TAS). O clube gaúcho tratou de costurar no acordo com o atacante de 34 anos uma cláusula que prevê uma espécie de quebra de contrato caso a justiça suíça derrube a liminar.

O Colorado ainda não fez o anúncio oficial e nem confirmou a contratação. Isso deverá acontecer assim que o peruano encerrar o vínculo com o Flamengo, com o término do contrato nesta sexta-feira. Salvo alguma reviravolta, Guerrero deve desembarcar em Porto Alegre no sábado para realizar exames médicos e ser apresentado.

Por Eduardo Deconto, Porto Alegre


0 comentários:

Postar um comentário