quinta-feira, 3 de maio de 2018

Oposição denuncia sucateamento do Hemope

Macas nos corredores do Hemope (Fotos: Bancada de Oposição/divulgação)

Referência no Brasil em diagnóstico laboratorial e tratamento das doenças do sangue, a Fundação de Hematologia e Hemoterapia de Pernambuco (Hemope) está sucateada e esquecido pelo governo do Estado. Segundo o Sindicato dos Servidores do Hemope, a grande dificuldade de todos os dias é lidar com os servidores desestimulados. O Governo do Estado vem prometendo desde 2013 realizar o Plano de Cargos e Carreiras dos profissionais, mas até agora nada foi feito. Atualmente, a unidade funciona basicamente com o serviço em regime de plantão extra, o que não resolve o problema, mas sobrecarrega os servidores.

A série de problemas denunciadas pelos servidores e pacientes da unidade de saúde motivou uma visita da Bancada de Oposição na Assembleia Legislativa de Pernambuco durante o Pernambuco de Verdade no Recife. Além dos problemas com o pessoal, a infraestrutura do local não funciona bem, faltam medicamentos essenciais e os pacientes, em alguns casos, por falta de maca, esperam sentados nos corredores.

Para o líder da Oposição na Alepe, Silvio Costa Filho (PRB), é uma situação extremamente preocupante. “O governo não honrou o compromisso de implementar o Plano de Cargos e Carreira, como prometido. Mas o que revolta qualquer cidadão, é que o Estado gastou milhões em consultoria, cargos comissionados e publicidade, enquanto deixou o Hemope nessa situação. Infelizmente a gestão atual não tem cuidado das pessoas”, denunciou Silvio.

Além dos problemas enfrentados pelos profissionais, quem vai ao Hemope doar sangue também sofre. Com cinco consultórios disponíveis no espaço da triagem, apenas dois médicos realizam o atendimento das centenas de pessoas que passam pelo local. Segundo os servidores, é preciso mais médicos e uma área de coleta melhor para comportar todos os pacientes, que por muitas vezes não conseguem doar.

Segundo a deputada Socorro Pimentel (PTB) a unidade de saúde não pode ficar do jeito que está. “Como médica, também me solidarizo à situação que vêm enfrentando os profissionais do Hemope. É inadmissível tamanha desvalorização, os atrasos constantes de salários, as péssimas condições de trabalho. Tudo isso ecoa diretamente na nossa população, que precisa do serviço, mas não usufrui de um número de profissionais suficientes que supram a grande demanda”, destacou a parlamentar.

“Nós temos vinte vales transporte para todo o mês. Se tem um plantão extra não temos passagem para trabalhar. Além disso, nosso vale alimentação é de R$10/dia, que não é reajustado há quase 30 anos. É preciso que seja feito alguma coisa pelos servidores. A situação do Hemope nos entristece e deixa a desejar. Temos que chegar ao governo do Estado para poder reivindicar melhores condições de trabalho”, destacou a auxiliar de enfermagem Márcia Pereira.

A bancada oposicionista irá visitar outras obras e equipamentos públicos esquecidos pela gestão. A Oposição vai solicitar uma audiência pública na Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa para discutir a situação da Hemope e vai cobrar do governador Paulo Câmara a adoção de ações emergenciais e concretas que beneficiem a população.

Assessoria de Imprensa Bancada de Oposição


0 comentários:

Postar um comentário