sábado, 13 de maio de 2017

Petrolândia: Reflexão sobre o olfato - Crônica de Fernando Batista

“De vez em quando precisamos sacudir a árvore da amizade para caírem as podres”.

Por Fernando Batista

Hoje me peguei matutando algo sobre os cinco sentidos do corpo humano. Necessariamente nada de científico, vez que não detenho ciências aplicadas acerca de suas anatomias. Meu intuito ao escrever é outro. Seja, talvez, o de fazer entranhar-nos em busca não da essência semântica ou fisiológica das palavras, mas, sobretudo, de como esses sentidos podem nos levar à reflexões por vezes nunca antes concebidas. O paladar, por exemplo, está intimamente ligado ao olfato, mas dele falaremos numa outra oportunidade.

Estudos indicam que o ser humano é capaz de perceber 10 mil diferentes odores, cada qual definido por uma estrutura química diferente. O aroma, nada mais é do que substâncias químicas suspensas no ar e solúveis em água ou gordura. Como é bom sentir um cheiro agradável, seja de uma fragrância de um perfume, seja o cheirinho daquele café gostoso e que nos remetem a boas e saudosas lembranças. Por outro lado, como incomoda o mau cheiro, o fedor inconveniente que tem como resultado a repulsa quase que imediata.

Na vida, as relações humanas também têm seus odores, sabiam disso? Quantos são, por exemplo, os que oferecem o perfume da euforia para que o cheiro da falsidade fique imperceptível? Cedo ou tarde se esquecerão de usar o perfume e o odor natural será sentido. É como bem diz o pensador e escritor Mário Silva Brito: “De vez em quando precisamos sacudir a árvore da amizade para caírem as podres”.

Todavia, não nos enganemos; nós também, muitas vezes pensamos que a podridão está no mundo, nos outros, nas estruturas, nas instituições, no entanto, porém, às vezes está em nós mesmos, dentro de nós. Por vezes essa fedentina não é física; o caráter é quem precisa de uma faxina geral. Quem sabe esteja na hora. Todo dia é dia de faxina, dia de organizar a bagunça interior, de borrifar a alma com boas atitudes e verdadeiras intenções. Convide seus verdadeiros amigos (mesmo que sejam poucos, serão os melhores) para sentirem o bom, o melhor odor que exala de dentro de você.

“UM XERU BEM XEROSU PARA TODOS QUE ESSAS LINHAS ALCANÇAREM.

Autor: Fernando Batista


0 comentários:

Postar um comentário