Publicidade

Saiba quem é Adelio Bispo, o homem que esfaqueou Bolsonaro


Através das redes sociais, o suspeito se mostrava como crítico ferrenho aos políticos em geral. Foto: Facebook/Reprodução

Adelio Bispo de Oliveira, de 40 anos, preso e identificado como o autor da facada que atingiu Jair Bolsonaro, em Minas Gerais, tem sido um crítico ferrenho do candidato a presidente do PSL na internet. Em seu perfil no Facebook, o suspeito publicou diversos comentários agressivos contra o presidenciável e revela predileção ideológica pelo campo da esquerda.

Segundo o jornal O Estado de S. Paulo e a Revista Veja, entre 2007 e 2014, ele foi filiado ao Psol e pediu para deixar a legenda. Ele estava inscrito no diretório da cidade de Uberaba, em Minas Gerais. Segundo o porta-voz da Polícia Militar de Minas Gerais, Adelio também chegou ser preso em 2013 por lesão corporal. Uma reportagem da Revista Piauí aponta que o agressor declarou, no momento em que era conduzido pelos policiais após esfaquear Bolsonaro, que estava cumprindo uma “ordem de Deus”.

Em uma postagem do dia 1º de Agosto, Adelio compartilha um vídeo antigo com uma entrevista do candidato e escreve o seguinte comentário: “Dá nojo só de ouvir, que dizer que a ditadura deveria ter matado pelos uns 30 mil comunistas” (sic). Em outro post do dia 31 de julho, ele publicou uma chamada da entrevista de Bolsonaro ao programa Roda Viva e escreveu na sequência: “Só m…, ele diz que o brasil na gestão dele sera liberal para o comércio com o mundo, mas já não é hoje???? O Brasil não tem um bom relacionamento comercial com mundo todo, ou ele esta sugerindo um livre comercio global, onde só o brasil abre suas fronteiras para produtos importados??? o munda fara isso para pra os produtos brasileiros???” (sic).

O agressor também publicou fotos pessoais nas quais aparece em uma manifestação olhando para cartazes com as inscrições “Renuncia Temer”, “Fora Temer” e “Políticos inúteis”. Em outra foto do mesmo cenário, na qual Adelio não aparece, militantes trajando camisas de apoio ao ex-presidente Lula são enquadrados sorrindo.

Adelio, que se identifica na redes sociais como solteiro e natural de Montes Claros (MG), também revela interesse específico na maçonaria, publicando fotos, reportagens e comentários ácidos contra o movimento. Em outro post publicado no dia 2 de agosto, ele elogia um vídeo oficial do presidente da Venezuela, Nicolas Maduro. “Isso é ser comunista, isso é comunismo, mas para a direita maçônica é um crime passivo de fuzilamento”.

Por: OP9

Comentários

Publicidade