Publicidade
ESTE BLOG ESTÁ EM REFORMA. AGRADECEMOS A COMPREENSÃO.

Cidade de Custódia será abastecida com água do Rio São Francisco


Compesa realizará obra para ampliar abastecimento da cidade sertaneja (Foto: 

As águas da Transposição do Rio Francisco também alimentarão a cidade de Custódia, no Sertão de do Estado. O novo Sistema Adutor será construído pela Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), que realizou nesta semana a disputa de preços para saber qual empresa vai realizar a obra. Segundo o presidente da estatal, Roberto Tavares, a expectativa é que o contrato seja assinado com a vencedora do certame no começo do mês de outubro. 

A obra de ampliação do Sistema de Abastecimento de Água de Custódia foi um dos nove projetos selecionados pelo governador Paulo Câmara, após pedido do Prefeito Manuca, que considerou essa obra a mais importante para o Município. O investimento será custeado com empréstimo do Estado junto ao FGTS. “O governador Paulo Câmara solicitou que os técnicos da Compesa encontrassem uma solução para atender a cidade de Custódia, que tem sofrido com a grave seca que já dura sete anos consecutivos”, explicou Tavares.

A obra consiste na construção de uma estação elevatória (sistema de bombeamento), no distrito de Rio da Barra, em Sertânia, e de uma adutora de 23 quilômetros de extensão, às margens da BR-232, que transportará água do Rio São Francisco para a cidade de Custódia. Também será construída uma nova estação de tratamento de água, específica para o atendimento a Custódia. “A unidade terá a capacidade para tratar 85 litros de água por segundo, vazão suficiente para suprir às necessidades da população do município. Para garantir os investimentos necessários para viabilizar a obra, o presidente da Compesa, Roberto Tavares, lembra do esforço do corpo técnico da companhia em elaborar projetos com antecedência. “Os nossos técnicos têm se desdobrado na elaboração de projetos que visem garantir água nas torneiras dos pernambucanos e que ajudem o governador Paulo Câmara a captar os recursos necessários para viabilizar as obras”, acrescentou o presidente.

O município de Custódia é atendido atualmente pelo manancial de Marrecas, que tem a capacidade armazenar 21 milhões de metros cúbicos de água, mas se encontra em pré-colapso. “Com o novo Sistema Adutor de Custódia, a cidade não ficará mais dependendo exclusivamente das chuvas. Independente dos ciclos de seca, teremos água do Rio São Francisco”, argumentou Roberto Tavares, pontuando que o projeto é uma antiga reivindicação das lideranças e moradores do município. A obra tem prazo para conclusão em 12 meses, a partir da assinatura da ordem de serviço.

Assessoria de Imprensa Compesa

Comentários

Publicidade