quarta-feira, 18 de abril de 2018

Polícia investiga desaparecimento de jovem grávida em Pernambuco

Ana Irys, de 27 anos, está grávida de cinco meses (Foto: Arquivo pessoal)

A Polícia Civil abriu um inquérito para investigar o desaparecimento de uma grávida em Olinda, no Grande Recife. A desempregada Ana Irys Lopes Telmos, de 27 anos, que está no quinto mês de gestação, sumiu há uma semana, quando se dirigia a uma comunidade do bairro. Segundo a família, ela pretendia pegar dinheiro que teria sido enviado pelo pai da criança, que está preso.

A família fez a primeira queixa sobre o desaparecimento ainda na quarta-feira (11), na Delegacia de Rio Doce, que está responsável pela apuração do caso. Os parentes informaram que o pai do bebê teria prometido R$ 1 mil para ajudar na compra de um berço e de parte do enxoval.

Segundo a polícia, na terça-feira (17), parentes de Ana Irys prestaram depoimento. Também esteve no distrito policial o motorista de aplicativo que transportou a grávida antes do desaparecimento.

Por meio de nota, a polícia informou também que o delegado Carlos Barbosa de Lima determinou o rastreamento das imagens de câmeras de segurança da área onde a grávida foi vista pela última vez.


A corporação informou que não vai informar as próximas etapas da apuração para não atrapalhar os trabalhos. Quem tiver informações sobre o caso, pode entrar em contato com o Dique-Denúncia através do telefone (81) 3421.9595. Não é preciso se identificar.

Nesta quarta (18), a mãe de Ana Irys, a operadora de telemarketing Daisy Lopes, afirmou, por telefone, que a jovem saiu da casa de uma tia, onde mora, no bairro da Estância, na Zona Oeste do Recife, para ir até o terminal de ônibus de Rio Doce. Nas proximidades do Jacarezinho, teria combinado de pegar o dinheiro com pessoas indicadas pelo pai do bebê.

Quando chegou até a comunidade, segundo Daisy, Ana Irys se encontrou com duas mulheres. Elas teriam dito que a grávida deveria pegar o dinheiro na favela. A jovem teria, então, pedido ao motorista do aplicativo que a esperasse.

“As mulheres disseram que não tinham o dinheiro naquele momento e que Ana teria de buscar a quantia na comunidade. Depois, chamaram ela para entrar na favela”, disse a mãe.

Daisy Lopes contou ainda que, minutos depois, o motorista ligou para o celular de Ana Irys, que já estava desligado. “O motorista disse na delegacia que reconheceria uma das mulheres, que é morena, forte e tem dente quebrado”, comentou Daisy.

A mãe afirmou que não sabe como Ana Irys conheceu o pai do bebê. “Ela estava escondendo a gravidez e só quem sabia da gestação era uma irmã dela. Soubemos pela polícia que ele [o pai da criança] foi preso por homicídios”, explicou.

Ela declarou, ainda, que o pai do seu neto tem outra mulher e filhos. “A gente também ficou sabendo que Ana Irys fez uma foto da barriga e mandou para a essa mulher para mostrar que estava grávida”, acrescentou.

Nas redes sociais, amigos e parentes criaram uma campanha para tentar localizar a gestante. Eles criaram a marca #somostodosanairys e espalharam cartazes com a foto de Ana Irys.

Por G1 PE


0 comentários:

Postar um comentário