Publicidade

Aécio tem 35% da intenção de votos para Presidência, aponta Datafolha


O senador Aécio Neves (PSDB) lidera a disputa pela Presidência da República, em simulação de eleição feita pelo Datafolha. Aécio detém 35% das intenções de voto, segundo a pesquisa publicada neste domingo pelo jornal Folha de S.Paulo, dez pontos à frente do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Em terceiro lugar aparece a ex-ministra Marina Silva (PSB), com 18% das intenções de voto. Brancos, nulos ou nenhum dos nomes seriam a opção de 11% dos eleitores, conforme o levantamento.

Em outro cenário apresentado pelo instituto, com o governador de São Paulo Geraldo Alckmin no lugar de Aécio, Lula estaria empatado tecnicamente com Marina, respectivamente com 26% e 25% dos votos (a margem de erro é de dois pontos para cima ou para baixo). O tucano viria em terceiro lugar, com 20%. Votos brancos, nulos e nenhum respondem por 14% dessa amostra. Outros nomes de candidatos citados foram Eduardo Paes (PMDB, com 2% das intenções no primeiro cenário e 3% no segundo), Luciana Genro (PSOL, com 2% e 3%, respectivamente) e Eduardo Jorge (PV, com 2% em ambos os cenários). O Datafolha entrevistou 2.840 pessoas em 174 municípios, nos últimos dias 17 e 18 de junho.

Rejeição

A presidente Dilma Rousseff alcançou a menor taxa de popularidade de seus dois mandatos, conforme mostrou pesquisa Datafolha divulgada na noite desse sábado. O levantamento mostra que 65% do eleitorado considera a gestão da petista como ruim ou péssima. Apenas 10% consideram como bom ou ótimo o governo de Dilma. Ainda de acordo com o instituto, esse índice de insatisfação só não é mais baixo que o do ex-presidente e atual senador Fernando Collor. Ele teve 68% de reprovação em setembro de 1992, pouco antes de sofrer impeachment.

Antes disso, a pior marca de Dilma tinha sido os 30% que foram medidos pouco depois das manifestações de junho de 2013. Em relação à pesquisa realizada em abril, a reprovação subiu cinco pontos porcentuais. A pesquisa ainda mostra que 24% avaliam como regular a presidente. Apenas 1% não souberam avaliar.

Com Agência Estado

Comentários

Publicidade