Publicidade
ESTE BLOG ESTÁ EM REFORMA. AGRADECEMOS A COMPREENSÃO.

Família morta em tiroteio em Milagres-CE que deixou 13 mortos seguia para Serra Talhada, onde passaria o Natal

Empresário, filho e mais três parentes foram feitos reféns na BR-116 e morreram na troca de tiros da polícia com os assaltantes. Um sexto refém também foi morto. Foto: Reprodução Internet

Os cinco integrantes da mesma família mortos em Milagres no tiroteio entre a polícia e a quadrilha que tentou assaltar bancos na cidade voltavam do aeroporto de Juazeiro do Norte (CE) e seguiam para Serra Talhada (PE), de acordo com Tadeu Gama, parente das vítimas que conversou com o Sistema Verdes Mares de Comunicação. A família iria passar o Natal com parentes na cidade pernambucana.

O empresário João Batista de Sousa Magalhães, 46 anos, dono de uma loja de informática em Serra Talhada, foi buscar a cunhada, o marido dela e o sobrinho, filho do casal, no aeroporto. Batista saiu de casa com o filho Vinícius de Sousa Magalhães, 14 anos, e apanhou o casal identificado apenas como Cleoneide e Cícero Bertolino, que estava com o filho Gustavo. A família é bastante conhecida na região. Cleoneide, Cícero e filho Gustavo desembarcaram de um voo vindo de São Paulo.


No caminho para Serra Talhada, por volta de 2h da madrugada, a família teve que parar o carro na BR-116 diante de um bloqueio na estrada feito pelos assaltantes. Eles foram feitos reféns e obrigados a deixar o carro e entrar em outro veículo com os criminosos. Antes do assalto, a quadrilha entrou em confronto com a polícia e a família foi atingida. Os parentes aguardam os corpos que estão na Coordenadoria de Medicina Legal (Comel) de Juazeiro do Norte. "Uma tragédia. A cidade inteira está em choque", disse Gama.

Tentativa de assalto e 13 mortos

A quadrilha armada e com reféns foi surpreendida pela polícia antes de atacar duas agências bancárias da cidade de Milagres, na Região do Cariri, na madrugada desta sexta-feira (7). Houve troca de tiros e 13 pessoas morreram no confronto, de acordo com a Comel.

Diário do Nordeste

Comentários

Publicidade