terça-feira, 11 de setembro de 2018

Ataques de 11 de setembro nos EUA completam 17 anos


Há exatos 17 anos, em 11 de setembro de 2001, o mundo inteiro assistia em choque a atentados coordenados pela rede terrorista Al Qaeda em cidades dos Estados Unidos. Presente na memória e eternizado por imagens, os ataques marcaram um capítulo importante da história do novo milênio e têm reflexos sentidos até hoje. Vários países reforçaram a legislação antiterrorismo e ampliaram os poderes de aplicação da lei desde então.

Na manhã desse dia, 19 homens ligados à rede sequestraram quatro aviões comerciais com passageiros e usaram dois deles para atingir as Torres Gêmeas do World Trade Center (WTC) em Nova York, símbolo da força econômica norte-americana. Os ataques ao WTC mataram todos que estavam nos aviões e muitos dos que trabalhavam nos edifícios. Ambos os prédios desmoronaram em duas horas, destruindo construções vizinhas e causando outros danos.

O terceiro avião de passageiros caiu contra o Pentágono, em Arlington, Virgínia, nos arredores de Washington. O quarto avião caiu em um campo próximo de Shanksville, na Pensilvânia, depois que alguns dos passageiros e tripulantes tentaram retomar o controle do avião, que os sequestradores tinham desviado para Washington. Não houve sobreviventes em qualquer um dos voos.


No total, aproximadamente 3 mil pessoas morreram, inclusive os 19 sequestradores. O governo dos Estados Unidos respondeu aos ataques a partir do movimento denominado "Guerra ao Terror". Sob coordenação dos norte-americanos, houve a invasão ao Afeganistão.

Após os ataques, os Estados Unidos estabeleceram um fundo no valor de US$ 4,3 milhões para a cobertura de tratamentos médicos contra a asma e doenças respiratórias, além de depressão, ansiedade e dores múltiplas. Em junho de 2013, o instituto norte-americano para a higiene e saúde no trabalho recomendou que alguns tipos de câncer fossem acrescentados à lista de doenças ligadas aos ataques.

Relembre a cronologia do dia dos ataques:

horários de Brasília
9h48: Um avião, provavelmente sequestrado, choca-se contra uma das torres do World Trade Center, deixando-a em chamas.
10h06: Um segundo avião, aparentemente de passageiros, choca-se com a segunda torre do World Trade Center. Agora as duas torres estão em chamas.
10h35: Autoridades portuárias da cidade de Nova York fecham todas as pontes e túneis.
10h39: O presidente George W. Bush convoca uma reunião com membros do gabinete de segurança nacional, com a presença do vice-presidente, Dick Cheney, e do governador do Estado de Nova York, George Pataki.
10h43: Um avião cai no Pentágono. O governo determina evacuação imediata no prédio.
10h45: A Casa Branca é evacuada.
10h51: FFA (Administração Federal de Aviação) suspende pela primeira vez na história todos os vôos para os EUA.
 11h05: A torre sul do World Trade Center desaba nas ruas abaixo de seus 417 metros.
11h08: Agentes da CIA (serviço secreto dos EUA) armam-se e preparam-se para proteger a Casa Branca.
11h10: O vôo 93 da United Airlines cai em Somerset County, sudeste de Pittsburgh (Estado da Pensilvânia).
11h13: A sede da ONU (Organização das Nações Unidas) á evacuada.
11h22: Em Washington, os Departamentos de Estado e de Justiça são evacuados.
11h24: A FFA (Administração Federal de Aviação) redireciona todos os vôos vindos do exterior para o Canadá.
11h30: A torre norte do World Trade Center desaba provocando uma grande cortina de fumaça e de destroços.
11h46: O secretário de Estado dos EUA, Colin Powell, suspende sua visita ao Peru e retorna para os EUA.
11h48: Polícia confirma a queda de um avião em Somerset County, sudeste de Pittsburgh (Estado da Pensilvânia).
12h20: O editor da sucursal de Londres de um jornal árabe afirma que o terrorista Osama bin Laden havia alertado, há três semanas, que ele e seus partidários fariam um ataque sem precedentes aos Estados Unidos.
12h18: A American Airlines informa a queda de dois aviões da empresa: um Boeing 767, de Boston (Estado de Massachusetts) para Los Angeles (Califórnia), com 81 passageiros a bordo e 11 tripulantes; e um Boeing 757, de Washington para Los Angeles, com 58 passageiros e seis tripulantes.
12h26: A United Airlines informa que o vôo 93 da companhia, vindo de Newark (Estado de Nova Jersey) rumo a São Francisco (Califónia), caiu na Pensilvânia. Informações não oficiais revelam que o avião foi abatido.
12h59: A United Airlines confirma a queda do vôo 175, de Boston (Estado de Massachusetts) para Los Angeles (Califórnia), com 56 passageiros a bordo. Há informações de que todos morreram na queda.
14h04: O presidente George W. Bush faz pronunciamento em local desconhecido, anunciando que o governo não poupará esforços para capturar o responsável pelos atentados.
17h20: EUA confirmam o terrorista Osama Bin Laden como o principal suspeito da série de atentados. Israel fecha fronteiras com Egito e com a Jordânia.
21h45: O presidente americano George Bush faz pronunciamento à nação em que promete encontrar os responsáveis pelos ataques e diz que amanhã os EUA voltam ao trabalho.
23h44: Após 12 horas da queda da primeira torre do WTC, o chefe de polícia de Nova York afirma que há sobreviventes entre os escombros.
23h50: Os primeiros números informam que pelo menos 800 pessoas teriam morrido no prédio do Pentágono.

Por: Portal FolhaPE com Agência Brasil e Folhapress


0 comentários:

Postar um comentário