Publicidade

Miguel alerta para crise de abastecimento de carne e risco de saúde pública em Petrolina

O deputado ainda alertou para as dificuldades de abastecimento provocados pelo fechamento do matadouro público (​Foto: Roberto Soares/Alepe​)

Fechado pela Prefeitura desde fevereiro, a situação do matadouro público de Petrolina foi alvo de críticas do deputado estadual Miguel Coelho (PSB). O socialista alertou em discurso na Assembléia Legislativa, nesta segunda-feira (11), para os riscos que a desativação do abatedouro provocou para cidades do Sertão do São Francisco.

Segundo o parlamentar já existem diversas denúncias de abate clandestino na região do São Francisco, que podem aumentar o índice de contaminação pelo consumo de carne. “A Prefeitura cometeu esse absurdo de fechar o matadouro sem oferecer uma opção e agora simplesmente negligencia os riscos à saúde pública. A gente tem notícia de que existe abate clandestino no meio da caatinga e isso pode aumentar consideravelmente a transmissão de doenças por consumo de carne mal tratada.”

O deputado ainda alertou para as dificuldades de abastecimento provocados pelo fechamento do matadouro. “O abate só pode ser feito em Juazeiro, a um custo muito maior. As principais feiras públicas de Petrolina estão sem carne desde fevereiro e esse problema afeta toda a região do São como Afrânio, Cabrobó entre outros municípios”, relatou o socialista.

Para discutir a situação do abate de carne no Sertão do São Francisco junto com a sociedade, Miguel Coelho já programou uma audiência pública. O debate ocorrerá no início de maio em Petrolina e deve contar com participação do Governo do Estado, representantes do Ministério Público, Ministério da Saúde e associações de marchantes e criadores de bovinos, caprinos e ovinos.

Assessoria de Imprensa de Miguel Coelho

Comentários

Publicidade