terça-feira, 15 de setembro de 2015

Júlio Cavalcanti cobra do Estado repasse do Proupe

“Será que esse programa tão importante criado pelo governador Eduardo Campos vai acabar?”, questiona Júlio Cavalcanti em referências às bolsas de estudo Proupe (Foto: Giovanni Costa)

Mais uma boa ideia que vai ficar pelo meio do caminho. Foi assim que o deputado Júlio Cavalcanti descreveu o Proupe, programa criado pelo governo Eduardo Campos para custear o a formação superior em Pernambuco. O parlamentar foi à tribuna na tarde desta terça-feira (15) destacar a falta de repasse das verbas do programa para as autarquias de ensino superior do Estado. São 12 mil alunos prejudicados, além das 13 autarquias que, por conta desse atraso, estão passando por dificuldades para manter suas estruturas. Para Algumas delas, o Proupe é responsável por 60% da receita.

O deputado apresentou números fornecidos pela Associação das Instituições de Ensino Superior do Estado de Pernambuco, que apontam um débito de aproximadamente R$ 8 milhões, pois desde junho deste ano que não há o repasse. O parlamentar destacou que o Governo do Estado emitiu ontem (14), após um protesto dos bolsistas que aconteceu no centro do Recife, uma nota oficial informando o pagamento de R$ 1 milhão até a próxima sexta, valor insuficiente para sanar a dívida com as autarquias, que dependem desse repasse para se manter. Além do mais, não houve edital para concessão de bolsas neste segundo semestre. “Será que esse programa tão importante criado pelo governador Eduardo Campos vai acabar?”, questionou o parlamentar.

“Eu fico me perguntando o que foi que aconteceu com aquela administração que sabia fazer ‘muito com pouco’. Desaprendeu? O governador era secretário da fazenda na época que o programa foi lançado. E agora não consegue mais pegar o pouco e transformar em muito? Se esse programa acabar, vai ser mais uma boa ideia que vai ficar pelo meio do caminho, senhoras e senhores. Com um detalhe bastante curioso aí: trata-se de um governo de continuidade”, disse.

O deputado questionou, ainda, quais são as reais prioridades do Governo, citando um edital publicado no Diário Oficial da semana passada que abre licitação, no valor de R$ 5 milhões, para contratar uma empresa para cuidar da comunicação digital do governo. “Cinco milhões!”, disse o deputado. “Deve oito milhões às autarquias. Prejudica 12 mil alunos. E quer pagar cinco milhões pra serviços de mídia digital? Pra aparecer bonito no facebook?”, questionou.

Outro exemplo da inversão de prioridades do Governo do Estado dado pelo parlamentar é o caso da contratação de shows para eventos de aliados políticos do governador. “Só dos aliados”, destacou. “Nós somos defensores da cultura e do lazer para a população, mas que não haja dois pesos e duas medidas. Que seja para todas as cidades, não apenas para aqueles que defendem o governo Paulo Câmara”, afirmou. “Continuo com a minha teoria: quer aparecer, governador? Execute obras. Deixe de gastar com mídia”.

Assessoria de comunicação do deputado Júlio Cavalcanti

Nenhum comentário:

Postar um comentário