Publicidade

Belém de São Francisco-PE: Médico cubano abandona trabalho no município, informação confirmada pelo prefeito Gustavo Caribé

O médico Luis Enrique Marzo Herrera (de verde) não aparece no município de Belém de São Francisco há um mês. Há informações na cidade de que o Herrera teria viajado para os Estados Unidos.  Foto: Reprodução/Internet/jornalgazzetadosertao.com

O Programa Mais Médicos teve uma deserção em Pernambuco. O médico cubano Luis Enrique Marzo Herrera abandonou o cargo há pelo menos um mês no município de Belém de São Francisco, localizado a 482 quilômetros do Recife. A informação foi confirmada pelo prefeito da cidade Gustavo Caribé (PSB). Segundo ele, o médico deixou a cidade sem dar nenhum tipo de satisfação à Secretaria municipal de Saúde. Há informações na cidade de que o Herrera teria viajado para os Estados Unidos.

Belém de São Francisco recebeu quatro médicos cubanos pelo Mais Médicos em novembro do ano passado. De acordo com a secretária de Saúde do município, Diliane de Sá Feitosa, ela recebeu o registro profissional deles no dia 29 de novembro. Pelas regras do programa, os profissionais do Mais Médicos só devem trabalhar nas unidades do Programa de Saúde da Família (PSF). A adesão da prefeitura ao programa, no entanto foi para que eles trabalhassem no Centro de Saúde, Aníbal Lustosa Sobrinho, conhecido como Cesp, o que não seria permitido pelo Ministério da Saúde. O município tem sete unidades do PSF e todas já estavam com as equipes completas.


Depois de negociações com o Ministério da Saúde, a prefeitura recebeu autorização para lotar os quatro médicos cubanos no Centro de Saúde. Só então eles puderem começar a trabalhar. Acontece que na primeira reunião entre representantes do Mais Médico no estado, prefeitura e os próprios médicos, realizada no dia 3 de janeiro, Luis Enrique Marzo Herrera não compareceu. Na ocasião, ele teria justiticado a ausência com uma viagem a Petrolina, onde teria ido visitar um conhecido. Depois disso, ele não foi mais visto em Belém de São Francisco.

"Ele não compareceu às outras reuniões e nem se apresentou para trabalhar. Deixou a cidade sem dar nenhuma satisfação", afirmou Diliane de Sá Feitosa. A secretária não confirmou a informação de que ele teria viajado para os Estados Unidos. Ela disse que o Ministério da Saúde tem conhecimento do fato. Este, por sua vez, ainda não confirmou a informação.

O caso de Luis Enrique Marzo Herrera é o terceiro que veio a público nos últimos dias de médicos cubanos que desertaram. O primeiro foi da médica Ramona Matos Rodriguez, 51 anos, que fugiu da cidade de Pacajá (PA), onde estava desde outubro trabalhando em um posto de saúde, e viajou para Brasília. Ela está morando na casa de um parlamentar do DEM enquanto espera a análise do pedido de refúgio feito ao governo brasileiro. Segundo informações, a médica pretende ir para os Estados Unidos.

O segundo registro foi do médico cubano Ortelio Jaime Guerra, que havia deixado há mais de uma semana o posto de trabalho na cidade de Pariquera-Açu (SP) e viajou para os EUA. O Ministério da Saúde já tinha informação de que ele estava desaparecido desde a semana passada. As autoridades brasileiras ainda tinham esperança de que ele retornasse ao trabalho. Na última segunda-feira (10), Ortelio publicou o seu paradeiro em sua conta pessoal do Facebook. Ele informou aos amigos que teve que ir embora sem falar com ninguém por questões de segurança.

Por Andrea Pinheiro
Diário de Pernambuco

Publicidade