Publicidade

Publicidade

Bolsonaro não é liberado para debate e Haddad se propõe a ir até enfermaria


Dois dos médicos que atenderam Jair Bolsonaro (PSL) no Hospital Albert Einstein, na Zona Sul de São Paulo, desembarcaram nesta quarta-feira (10/10) no Rio de Janeiro para realizar uma nova avaliação médica do candidato à Presidência da República.

Ao deixar a casa de Bolsonaro, o cirurgião Antônio Luiz Bonsucesso Macedo e o cardiologista Leandro Echenique disseram que o capitão reformado ainda não está pronto para voltar a fazer campanha.

Os especialistas, no entanto, não descartaram a possibilidade de Bolsonaro participar de debates neste segundo turno, pois novas avaliações serão feitas em breve.

Nas redes sociais, o candiato do PT à Presidência, Fernando Haddad, que disputa o segundo turno com Bolsonaro se mostrou ansioso para debater com o adversário. "Vamos fazer uma campanha propositiva e demarcar as diferenças entre projetos. Agora, meu adversário precisa participar dos debates. Eu estou disposto a ir até uma enfermaria se for preciso para debater o Brasil. Ninguém pode ser eleito sem apresentar as suas propostas ao povo", publicou o ex-prefeito de São Paulo no Twitter. 


Cirurgias

Na semana passada, os médicos contraindicaram a ida do candidato ao último debate presidencial, em 4 de outubro, antes do primeiro turno das eleições. O presidenciável passou por duas cirurgias ao longo da internação na unidade médica paulista.

A análise do estado clínico de Bolsonaro será feito pela mesma equipe que o acompanha desde a realização da segunda cirurgia. O deputado se queixou de um desconforto com a bolsa de colostomia na saída da seção eleitoral, no domingo (7/10), quando foi votar.

Na disputa pelo segundo turno, Bolsonaro deverá enfrentar o candidato do PT, Fernando Haddad. O primeiro debate está previsto para quinta-feira (11/10), na TV Bandeirantes. A expectativa é que outros cinco sejam realizados até o dia 28 de outubro, data prevista para novas eleições

Correio Braziliense

Comentários

Publicidade