Publicidade
ESTE BLOG ESTÁ EM REFORMA. AGRADECEMOS A COMPREENSÃO.

Haddad vai à CNBB e firma compromisso pró-vida e contra a violência; Saída é tumultuada por bolsonaristas

Saída do candidato da CNBB foi tumultuada com a chegada de 2 carros com 2 apoiadores de Jair Bolsonaro (PSL), que seguiram a comitiva até o hotel onde estava hospedado Haddad (Foto: Sergio Lima/Poder360)

O candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, reuniu-se nesta 5ª feira (11.out.2018) com a cúpula da Igreja Católica no Brasil, em Brasília. O petista disse que sua campanha tem convergência em relação a 5 pontos prioritários para a Igreja.

Os bispos pediram atenção especial para os seguinte pontos: combate à cultura da violência, defesa da democracia, fortalecimento dos órgãos de combate à corrupção, proteção ao meio ambiente e a preservação da vida, contra a legalização do aborto. Haddad disse que se compromete com os pontos.

O ex-prefeito de São Paulo foi recebido pelo secretário-geral da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), dom Leonardo Steiner. Ele pediu para que seja feita uma recomendação por parte da entidade para que os eleitores católicos tomem cuidado com a propagação de notícias falsas.

Em nota, dom Leonardo afirmou que é comum a conversa com candidatos em período eleitoral e que a entidade não tem partido político. “O candidato não veio pedir apoio e a CNBB não tem partido e nem candidato”, disse. “O candidato expôs suas propostas de governo e sua preocupação com o Brasil. Da minha parte, abordei com o candidato assuntos que preocupam os bispos do Brasil.”

A saída de Haddad da CNBB foi tumultuada com a chegada de 2 carros com 2 apoiadores de Jair Bolsonaro (PSL). Eles criticavam a Igreja por receber o petista e gritavam contra a presença do candidato. Os 2 carros seguiram a comitiva de Haddad até o hotel em que estava hospedado em Brasília.

PESQUISAS

O petista comemorou o resultado do Datafolha. “Hoje sou candidato a exatamente 30 dias“, disse. “Me sinto estimulado, quem saiu de 4% para 42% tem chance de chegar a 50% em mais duas semanas.”

Haddad minimizou o fato de Ciro Gomes (PDT), que declarou apoio a sua candidatura, ter viajado para a Europa e demonstrar que não se engajará em sua campanha. “O Ciro está se recuperando de uma cirurgia e, para nós, basta uma palavra dele dizendo que o voto no 2º turno é em Fernando Haddad.”

O PDT e o PSB, partidos que declararam apoio ao petista na 2ª fase da disputa, devem fazer atos de apoio a Haddad.

DEBATES

O candidato voltou a criticar a ausência de Jair Bolsonaro (PSL), seu adversário no 2º turno, nos debates. “Sou leigo no assunto, mas me parece contraditório uma pessoa não poder debater e poder dar entrevista”, disse. “Qual a diferença entre debate e entrevista? A entrevista é como 1 debate com o jornalista.”

Poder 360

Comentários

Publicidade