Publicidade

Governo de PE vai custear traslado de corpo de médica e entrar com representação em corte internacional


O Governo de Pernambuco irá custear o traslado do corpo da estudante Raynéia Gabrielle Lima, 31, morta na última segunda-feira (23) em Manágua, capital da Nicarágua. Segundo o secretario de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico, o Instituto de Medicina Legal da Nicarágua já realizou a perícia do corpo e deve emitir, em breve, o atestado de óbito para a liberação definitiva.

"O Estado assumirá, por ordem do governado Paulo Câmara, o pagamento do traslado do corpo e da urna funerária. Estamos discutindo a questão do pagamento, se vamos enviar o valor para a embaixada brasileira em Manágua ou se o Governo do Estado vai pagar diretamente à casa funerária", contou Pedro Eurico.

Ainda de acordo com o secretário, não há previsão de quando o corpo chegará ao Recife. "Não podemos fixar o dia e a hora que o corpo vai chegar, mas será o mais breve possível. Nós já estamos também com o orçamento para o embalsamamento e o transporte, que será feito pela Copa Airlines, que tem voos regulares de Managuá para o Panamá e de Panamá para o Recife", disse. O voo de Manáguapara o Panamá dura 40 minutos. Do Panamá para o Recife, serão mais seis horas e meia de voo. "A Secretaria de Planejamento já está tomando todas as providências. Não haverá necessidade de procedimentos licitatórios porque a Copa Airlines é uma empresa instalada no exterior e única", pontuou.

Ao chegar ao Recife, o corpo deve seguir diretamente para o sepultamento, que ficará sob responsabilidade da família da vítima. O enterro de Raynéia deve acontecer no Cemitério Morada da Paz, em Paulista, na Região Metropolitana do Recife.

Representação
O Governo de Pernambuco irá entrar com uma representação na Corte Interamericana de Direitos Humanos solicitando a apuração da causa mortis de Raynéia Gabrielle.

"Estamos encaminhando a representação para o Ministério das Relações Exteriores, que fará o encaminhamento direto para a corte. O Governo de Pernambuco exige explicações, porque as informações, mesmo ainda sem muita confirmação, é de que se tratou de um atentado", disse o secretário. "Nós, que somos democratas, não podemos aceitar que um cidadão brasileiro, uma pernambucana, seja assassinada por motivação de natureza presumivelmente de ordem política", acrescentou.

Por: Portal FolhaPE

Comentários

Publicidade