Publicidade

No Sertão de Pernambuco, Dilma critica falta de água em São Paulo

Dilma fala com a militância em Petrolina
 

A presidente Dilma Rousseff (PT) disparou contra os problemas de abastecimento de água no Estado de São Paulo, governado pelo PSDB, no discurso que proferiu em Petrolina, no Sertão do São Francisco, em Pernambuco, no início da tarde desta terça-feira (21).

“São Paulo, o estado mais rico do país, não se preparou para a seca. Já o governo federal se preparou e trouxe água para o Nordeste”, afirmou enérgica, próxima do Rio São Francisco. Os testes do sistema de bombeamento da Transposição começaram na semana passada. Os primeiros, falharam.

Em São Paulo, moradores de várias cidades e de alguns bairros da capital tem reclamado da falta de água em alguns períodos do dia, após a reeleição do governador Geraldo Alckmin (PSDB). Oficialmente, apenas a cidade de Itu passa por racionamento. Os paulistas têm dificuldade de abastecimento devido a baixa no nível de água do Sistema Cantareira, que abastece 8,8 milhões de pessoas.

“Eu vim aqui pedir o voto de vocês. Mais do que o voto, eu vim pedir a fé de que nós não deixemos a bola cair, para que a gente vença junto”, pediu a presidente. Nesta quarta (22), os ministros Francisco Teixeira, da Integração Nacional, e Miriam Belchior, do Planejamento, irão visitar as obras da Transposição em Pernambuco.



O ato ocorre paralelamente a um encontro da Articulação Semiárido (ASA) em Juazeiro, na Bahia, que é separada de Petrolina por uma ponte. O discurso de Dilma ocorre na Praça Dom Malan, no Centro da cidade pernambucana. “Diante da urna vamos fazer um manifesto pelo semiárido, pois assim conquistaremos o direito de governar por mais quatro anos”, disse a presidente.

Diante da militância petista, Dilma fez várias críticas ao PSDB, partido do adversário Aécio Neves. “Eles que têm uma visão afastada do Brasil não sabem que esse povo é trabalhador, que paga seus impostos”, disse a presidente, em referência aos nordestinos.

Dilma disse ainda que ao contrário dos tucanos, o PT governou para a população mais pobre e a incluiu no orçamento federal. “Nós não recuamos. Nós não temos medo deles. Nós derrotamos eles três vezes e vamos derrotar a quarta vez”, prometeu.

A candidata também afirmou que a diferença é enorme quando se compara o governo dela e o do ex-presidente Lula (PT) ao de Fernando Henrique Cardoso (PSDB). “Você acha que o Brasil está melhor ou pior? Você acha que os governos tucanos fizeram mais ou menos por você?”, questionou a população.

Em seguida, Dilma disse que 22 milhões de pessoas superaram a miséria extrema apenas no seu governo e que tinha orgulho de ter construído um milhão de cisternas.

“Hoje aqui no nordeste tem cisternas. Tem casa pra morar. Tem garantia da continuidade do Bolsa Família”, disse a presidente, sugerindo que uma vitória de Aécio pode ameaçar os programas sociais do governo federal.

PERNAMBUCO – O ato de Petrolina é o primeiro do qual Dilma participa em Pernambuco nesta terça, a cinco dias do segundo turno da disputa presidencial. Ao lado de Lula, ela fará um comício em frente à fábrica da Fiat em Goiana, na Zona da Mata pernambucana. A instalalção da unidade no Estado chegou a ser criticada por Aécio, que queria o empreendimento em Minas Gerais; onde a Fiat já possui uma fábrica em Betim.

No final da tarde, Dilma e Lula participam de uma caminhada pelo Centro do Recife, saindo do Parque 13 de Maio, na Boa Vista, e seguindo até o Marco Zero, no Bairro do Recife.

No primeiro turno, Pernambuco foi o único estado do Nordeste onde Dilma não venceu. Em primeiro lugar ficou a ex-senadora Marina Silva (PSB), com 48,05% dos votos, apoiada pela família e aliados do ex-governador Eduardo Campos. Campos morreu em agosto, em um acidente aéreo ocorrido na cidade de Santos, no litoral paulista.

Dilma teve a segunda melhor votação no Estado, com 44,22%. Aécio Neves ficou com apenas 5,92% da preferência dos pernambucanos. No segundo turno, porém, conseguiu o apoio do PSB, de Marina, e da família Campos, o que deve aumentar a sua votação no Estado.

Fonte: Blog de Jamildo

Comentários

Publicidade