quarta-feira, 18 de setembro de 2013

PSB confirma que entregará cargos a Dilma Rousseff


Após mais de duas horas de reunião, o PSB confirmou a entrega dos cargos ocupados no governo federal, mas o partido manterá o apoio formal à presidente Dilma Rousseff no Congresso Nacional. Na avaliação dos socialistas, esse não é o momento político ideal para um rompimento com o PT. O governador Eduardo Campos, presidente nacional do partido, deve comunicar a Dilma a decisão em audiência no Palácio do Planalto.

Defensor da saída do PSB do governo, o líder do partido na Câmara dos Deputados, Beto Albuquerque (RS), foi o porta-voz da reunião do partido desta quarta-feira (18). Ele reforçou que os socialistas tomaram a decisão para não constranger a presidente e que, a partir de agora, adotam uma postura mais independente. "Não seremos oposição ao governo, mas também não estaremos na base. Vamos votar aquilo que entendermos que é bom para o Brasil", afirmou Beto Albuquerque.



Petistas tentaram convencer Dilma a pedir os cargos do PSB antes da reforma ministerial prevista para o início de 2014. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no entanto, a demoveu da ideia em reunião na última sexta-feira. Para Lula, esse não seria o momento de "empurrar" os socialistas para o campo da oposição. Nesta terça-feira (17), o governador e potencial candidato à Presidência comunicou a Lula que o partido entregaria os cargos que ocupa no primeiro (Ministério da Integração Nacional e Secretaria Especial dos Portos) e nos demais escalões do governo (como a Chesf).

O desembargue socialista do governo afasta as acusações de que o partido flerta com a oposição sem abrir mão dos dois ministérios.

Segundo informações de bastidores, Eduardo Campos teria pedido a governadores e prefeitos socialistas para eles não façam retaliação ao PT em seus estados, pedindo os cargos. Em Pernambuco, os petistas comandam as secretarias estaduais de Transportes (Isaltino Nascimento) e Cultura (Fernando Duarte) e, no Recife, a de Habitação (Eduardo Granja), além de postos no segundo escalão.

A reunião de hoje (18) teve a presença dos governadores do partido Cid Gomes (Ceará), Wilson Martins (Piauí), Ricardo Coutinho (Paraíba), além de Eduardo Campos. Também participaram senadores, deputados federais e prefeitos, como o do Recife, Geraldo Julio. O ministro Fernando Bezerra Coelho (Integração Nacional) estava presente, mas o ministro Leônidas Cristino (Secretaria dos Portos) não pode comparecer porque está no Panamá.

Andrea Pinheiro - Diario de Pernambuco

Nenhum comentário:

Postar um comentário