terça-feira, 7 de agosto de 2018

Pastora evangélica morta no Recife foi ameaçada por homem preso pelo crime, diz família de testemunha


A pastora evangélica Josefa Maria da Silva, morta a tiros na noite de segunda (6), no Ipsep, na Zona Sul do Recife, havia sido ameaçada por José Luiz da Silva, preso em flagrante pelo crime, segundo a família da mulher que estava com a vítima no momento do assassinato e não teve o nome divulgado. De acordo com a polícia, as duas mulheres — a vítima e a testemunha — eram namoradas. (Veja vídeo acima)

José Luiz da Silva, de 37 anos, era casado, mas manteve um relacionamento amoroso com a mulher que presenciou o crime, que está grávida. Após passar por audiência de custódia, ele teve a prisão preventiva decretada e foi encaminhado ao Centro de Triagem Professor Everardo Luna (Cotel), em Abreu e Lima, no Grande Recife.

Um irmão da testemunha do crime, que preferiu não se identificar, afirmou que José Luiz da Silva tinha ciúmes dela com a pastora, mas a família da grávida nega que as duas sejam namoradas.
Os dois se conheceram quando ela trabalhou na lanchonete dele, mas a mulher foi demitida após engravidar. Após demiti-la da lanchonete, José Luiz chegou a pagar um mês do aluguel da casa onde ela mora, mas parou de ajudá-la financeiramente por causa do ciúme da grávida com a pastora.

Ainda segundo o irmão da testemunha, ela está abalada e preferiu não dar entrevista. Semanas antes do crime, as duas mulheres passaram alguns dias juntas, em João Pessoa, na Paraíba, onde a pastora passou a morar. Essa viagem teria motivado ainda mais o ciúme de José Luiz.

"Ele rondava o bairro de carro. Se o carro de Josefa estivesse na frente da casa da minha irmã, ele já não entrava. A pastora sempre o chamou, explicou que não tinha nada com minha irmã. Ele vinha fazendo pequenas ameaças e acreditamos que ele soube do processo que seria movido contra ele", acrescentou o irmão da testemunha do crime.

Josefa Maria da Silva foi enterrada no fim da tarde desta terça-feira (7) no Cemitério de Santo Amaro, na área central do Recife, de acordo com o irmão da testemunha do crime.

Entenda o caso

A Polícia Civil informou que Josefa Maria da Silva, pastora da Igreja Rompendo em Fé, em Boa Viagem, também na Zona Sul do Recife, saiu do culto, pegou a grávida e deu uma carona para uma terceira pessoa até uma residência no bairro, na noite da segunda-feira (6).

Ao retornar para a casa da grávida, na Avenida Presidente Kennedy, a pastora parou o automóvel e elas foram surpreendidas por José Luiz. Segundo a polícia, ele atirou três vezes na vítima. A testemunha do crime abria a grade do prédio quando o atirador chegou.

Segundo a polícia, é possível descartar a possibilidade de roubo seguido de morte, já que o dinheiro que estava com a pastora não foi levado.

Por G1


0 comentários:

Postar um comentário