Publicidade

Operação prende dez pessoas, entre elas bandidos que tentaram sequestrar gerente de casa lotérica em Piranhas,AL


Dez pessoas foram presas em uma ação conjunta das polícias de Alagoas e Sergipe, na noite desta quinta-feira (16), em Piranhas. Dois dos presos se tratam dos criminosos que participaram da tentativa de sequestro do gerente de uma casa lotérica do município e que fugiram, depois de trocarem tiros com equipes das polícias Civil e Militar, na manhã desta quinta-feira (15).

A dupla fugitiva foi capturada, depois de várias buscas, dentro da caatinga, realizadas por equipes da Companhia de Operações Policiais Especiais do Sertão (Copes – Caatinga), Pelotão de Operações Especiais (Pelopes), Tático Integrado de Grupos de Repressão Especial (Tigre), Divisão Especial de Investigação e Captura de Alagoas (Deic) e delegacia de Piranhas. Militares do 4º Batalhão de Sergipe, sob comando do coronel Rolemberg, também participaram das buscas.

Com os presos, os policiais apreenderam dois revólveres calibres 38 e uma pistola de ar comprimido, além de 11 munições do calibre 38, sendo quatro intactas e seis deflagradas. Depois da captura dos fugitivos, que ainda não tiveram os nomes divulgados, as equipes policiais prenderam duas mulheres e seis homens, também não identificados, que planejavam o resgate dos bandidos que estavam escondidos dentro da caatinga.
Segundo o tenente-coronel Joaz Fontes, comandante do 9º Batalhão de Polícia Militar (BPM), sediado em Delmiro Gouveia, as duas mulheres presas tinham saído de Recife, em Pernambuco, para resgatar os dois homens que foram capturados na caatinga pelas polícias. Um dos criminosos é filho e esposo, respectivamente, das duas.

Ainda de acordo com o oficial, elas fretaram, por R$ 650,00, um carro Hyundai, de cor branca e placa PFT-5065/Recife - PE para resgatar os bandidos que estavam escondidos no matagal e as outras seis pessoas que vieram com elas, quatro delas em um carro de passeio, eram para dar apoio ao resgate.

Todos os presos e o material apreendido foram levados para a Delegacia Regional de Polícia (1ª-DRP), sediada em Delmiro Gouveia.

O caso

Uma ação das polícias Civil e Militar conseguiu evitar o sequestro do gerente de uma casa lotérica, na manhã desta quinta-feira (15), no bairro Xingó, na cidade de Piranhas. Houve troca de tiros, um criminoso foi detido e outros dois conseguiram fugir. O preso foi identificado como Alexandre César Romão Júnior, 24, natural de Recife, já os que fugiram não tiveram os nomes divulgados.

Desde a tarde desta quarta-feira (14), quando o setor de Inteligência da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP/AL) repassou para o policiamento da área a informação de que uma quadrilha estava prestes a roubar uma casa lotérica da cidade, o tenente-coronel Joaz Fontes, comandante do 9º Batalhão de Polícia Militar (BPM), e o delegado Rodrigo Rocha Cavalcanti, titular da Delegacia Regional de Polícia (1ª-DRP), ambos coordenadores da 24ª Área Integrada de Segurança Pública (AISP), organizaram uma operação para flagrar os bandidos.

Militares da Companhia de Operações Policiais Especiais do Sertão (Copes – Caatinga) e Pelotão de Operações Especiais (Pelopes), além de agentes civis do Tático Integrado de Grupos de Repressão Especial (Tigre), 1ª-DRP, delegacia distrital de Piranhas e Departamento de Polícia Judiciária da Área 1 (DPJA-1) montaram um cerco para esperar a chegada dos criminosos.

Por volta das 6h, os bandidos chegaram em um Corsa Sedan, de cor branca e placa JSQ – 6275/Jaboatão dos Guararapes – PE. Ao serem abordados, os criminosos começaram a atirar na direção dos policiais que revidaram a ação. Houve uma perseguição até uma localidade conhecida como Mirante da Companhia Hidroelétrico do São Francisco (Chesf), onde duas das três pessoas que ocupavam o veículo fugiram a pé pelo matagal e uma foi detida.

Segundo o tenente-coronel Joaz Fontes, no automóvel foram encontradas manchas de sangue que levaram à conclusão de que as pessoas que fugiram ficaram feridas. Ainda de acordo com o oficial, as armas utilizadas no tiroteio foram levadas pelos fugitivos, que deixaram para trás apenas oito munições, sendo sete intactas e uma deflagrada, além de dois aparelhos de telefone celular.

O preso e o material apreendido na ação foram levados para a 1ª-DRP, sediada em Delmiro Gouveia.

Casa Minuto

Comentários

Publicidade