Publicidade

Recife: Funcionários da Pesquisa de Emprego e Desemprego protestam hoje contra expectativa de demissão em massa

Com expectativa de demissão em massa, trabalhadores fazem ato na frente do Ministério do Trabalho, no Recife, às 14h

A Comissão de Funcionários da Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED) da Região Metropolitana do Recife (RMR) promove nesta quinta-feira (14) na frente da sede do Ministério do Trabalho (MTE), na avenida Agamenon Magalhães, 2000, bairro do Espinheiro, um ato de protesto pela paralisação da pesquisa no mês de maio.

Um grupo formado pelos 66 funcionários da entidade, que é ligada ao Instituto de Apoio à Universidade de Pernambuco (IAUPE), estará no MTE para tratar da pauta de negociação de um dissídio coletivo e aproveita a oportunidade para denunciar os constantes atrasos dos vencimentos e benefícios e os efeitos negativos da paralisação da série histórica da pesquisa, que já é realizada na RMR há 18 anos.

O coordenador geral do Sindicato dos Trabalhadores de Instituições de Ensino (SINTEEPE) - ao qual a PED é ligada -, Henrique Filho, alerta que a interrupção da pesquisa em um momento em que o Estado enfrenta dificuldades econômicas, com a desmobilização de várias frentes de trabalho em regiões como Suape, por exemplo, privará Pernambuco de ter um importante instrumento de sondagem para a formulação de políticas públicas.

“Fonte segura de checagem do emprego e desemprego para o Estado, a pesquisa da PED, que usa a metodologia do DIEESE, também produz indicadores importantes, como o perfil dos trabalhadores, nível de escolaridade da força de trabalho, a inserção dos negros e mulheres no mercado, entre outros”, detalha.

Além do valor científico da pesquisa, Henrique chama a atenção sobretudo para o drama que tem sido enfrentado pelos 66 trabalhadores da PED nos últimos meses. “Desde abril, eles vivem sob a ameaça constante de demissão, tiveram os salários atrasados e outros benefícios, a exemplo do ticket alimentação e vale-transporte”.

A Pesquisa de Emprego e Desemprego é financiada com recursos dos governos federal e estadual. Após o atraso no repasse do Ministério do Trabalho – que ainda não quitou a contrapartida de 2014 e nem enviou os recursos referentes a 2015 -, o Estado anunciou que não tinha mais condições de bancar o levantamento.

A solução encontrada pelo Estado foi utilizar um recurso da ordem de R$ 750 mil disponibilizado pelo Sine (Sistema Nacional de Emprego) em Pernambuco. A promessa era de que o recurso seria liberado logo após o envio de um ofício por parte do Ministério do Trabalho autorizando a operação.

O ofício foi recebido pelo Governo do Estado na última quinta-feira (07) mas até o momento os recursos não chegaram ao IAUPE, que realiza o pagamento da pesquisa. “Há uma sinalização de que este valor esteja disponível no próximo dia 18, mas isto vai comprometer ainda mais a coleta de dados e os resultados da pesquisa, pois os funcionários não têm como ir a campo. Isto afeta a série histórica e o aproveitamento amostral”, lamenta Henrique Filho.

O ato de protesto dos trabalhadores da PED/RMR ocorre a partir das 14h, na frente do prédio do Ministério do Trabalho (Avenida Agamenon Magalhães, 2000, Espinheiro).

Fonte: Comissão dos Trabalhadores da PED/RMR PED/RMR

Comentários

Publicidade