sexta-feira, 12 de outubro de 2018

CPRH faz nova autuação em Camaragibe e apreende caminhões e tratores

Prefeito Demóstenes Meira responderá por mais dois autos de infração, assim como a Prefeitura (Foto: Divulgação/CPRH)

Um dia depois de embargar a abertura de um acesso viário em área do Parque Municipal Aldeia dos Camarás, pela Prefeitura de Camaragibe, uma equipe da Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) precisou voltar ao local, na manhã desta quinta-feira (11), após receber denúncia de nova intervenção irregular no local. Após a constatação, dois caminhões e dois tratores foram apreendidos e foram lavrados mais quatro autos de infração, sendo dois contra a Prefeitura, com multas no valor de R$ 24.081,26, e dois contra o prefeito Demóstenes Meira, totalizando o mesmo valor. Os autos – sete, no total, contando com os da quarta (10) – e os relatórios técnicos do caso serão agora encaminhados ao Ministério Público (MPPE) para que sejam adotadas medidas cabíveis.

A nova investida para a continuidade da abertura do acesso viário foi movida do outro lado da anterior, ligando a PE-27 à Comunidade do Cajá, próximo ao Km 10 de Aldeia, e resultou num desmate de 1.830 m². A área havia sido alvo de ações de reflorestamento, com plantio de mudas de variadas espécies da Mata Atlântica. Os dois tratores apreendidos são da prefeitura. Dos caminhões, um é da prefeitura e outro é de particular. Os motoristas que manobravam as máquinas foram conduzidos à Delegacia de Polícia do Meio Ambiente (Depoma), no Recife, e também responderão por crime ambiental. Policiais da própria Depoma e da Cipoma (Companhia Independente do Policiamento do Meio Ambiente) acompanharam a ação.

Semelhantes aos anteriores, os novos autos de infração foram por supressão de vegetação nativa da Mata Atlântica (R$ 20 mil) e por início de obra (acesso viário) sem licenciamento ambiental (R$ 4.081,26), idênticos para a Prefeitura (como realizadora) e para o prefeito (como mandante). Da mesma forma como na quarta (10), quando o desmatamento constatado foi de 600 m², há o agravante de ter ocorrido em região da Área de Proteção Ambiental (APA) Aldeia-Beberibe; Área de Preservação Permanente e de Proteção de Mananciais (abriga a nascente do Rio Pacas, afluente do Rio Beberibe). Na quarta, a Prefeitura foi multada em R$ 14.081,26 e o prefeito em R$ 10 mil, com base na legislação ambiental em vigor.

Núcleo de Comunicação Social e Educação Ambiental - NCSEA
Agência Estadual de Meio Ambiente - CPRH


0 comentários:

Postar um comentário