Publicidade

Polícia investiga sumiço de adolescente em PE

Jovem desaparecida também teria comentado com uma vizinha que iria visitar uma amiga em João Pessoa, na Paraíba (Foto: Divulgação)

A polícia investiga o desaparecimento de uma estudante de 17 anos que sumiu da residência localizada no bairro da Mangueira, na Zona Sul do Recife, desde a terça-feira (31). Segundo a família de Karlyn Aneska Macedo de Almeida Moreira, a jovem saiu de casa nessa data às 6h para ir a um curso de Jovem Aprendiz na Escola Dom Bosco, na Avenida General San Martin, e foi vista pela última vez por volta das 17h do mesmo dia no bairro da Boa Vista. O caso está sendo investigado pela Gerência de Polícia da Criança e do Adolescente (GPCA).

A última pessoa a ver a adolescente desaparecida foi um amigo dela que tem um estúdio de tatuagem no Edifício Teresa Cristina, na Praça Machado de Assis, na Boa Vista, de acordo com a mãe de Karlyn, Jacilene Faustino. “Ele me disse que minha filha foi pedir dinheiro emprestado para ir até São Vicente Ferrer [município do Agreste de Pernambuco], pois tinha um rapaz esperando na rodoviária”, contou ao G1 pelo telefone.

A jovem, que estuda no 2º ano do Ensino Médio da Escola Estadual Vidal de Negreiros, no bairro de Afogados, também teria comentado com uma vizinha que estava planejando ir à Paraíba. “Karlyn disse à nossa vizinha que iria para João Pessoa visitar uma amiga que mora lá, mas não chegou na casa dela. Também ligamos para um primo meu que mora na cidade e minha filha não foi para lá”, disse Jacilene.

A mãe da jovem revela que Karlyn tinha tentado fugir de casa uma vez quando tinha 13 anos. "Minha filha é rebelde. Ela tinha dado um susto na gente ao fugir de casa, mas, no mesmo dia, ligou de outro telefone pedindo para irmos buscá-la”, relembra Jacilene, que é casada com o vigilante Robson de Almeida, com quem tem mais três filhos: de 21, 16 e 11 anos.

Após prestar queixa na polícia na quarta-feira (1º) e procurar Karlyn em locais como o Instituto de Medicina Legal (IML) e o Hospital da Restauração, a família aguarda ansiosa alguma notícia da jovem. “Quero fazer um apelo como mãe que está sofrendo. Essa angústia de não saber de nada, de não ter notícia da minha filha está me martirizando”, desabafa Jacilene.

Quem tiver alguma informação sobre o caso pode ligar para o Disque-Denúncia, no número (81) 3421-9595. “Queremos saber notícias dela viva ou morta. Se alguém souber de algo, por favor nos avise, pois toda ajuda é bem-vinda", pede a mãe da adolescente desaparecida.

G1 PE

Comentários

Publicidade