sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

Novas adutoras levarão água para cidades castigadas pela seca em Pernambuco


Com a seca que afeta a região Nordeste do país, os governos locais precisam apresentar soluções para melhorar a qualidade de vida da população. Em Pernambuco, o andamento dos processos para a construção de adutoras já está adiantado.

Na última semana, o governador Paulo Câmara participou de um evento que deu início à licitação da construção da Adutora do Alto Capibaribe. O investimento das obras será de R$ 82 milhões. Os canais levarão água da Transposição do Rio São Francisco, no rio Paraíba, para oito cidades pernambucanas e um município do estado vizinho. A construção beneficiará cerca de 230 mil pessoas.

Para o presidente da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), Roberto Tavares, as obras são essenciais, já que vão chegar a locais muito castigados pela falta d`água. “Nós estamos sete anos consecutivos de e essas obras são da mais alta importância, já que vão trazer água para o Agreste, a região mais seca do nosso estado”, afirmou o representante da empresa que vai supervisionar as construções.

Ainda segundo Tavares, apesar de algumas dificuldades, as adutoras serão construídas e entregues sem muitos problemas. “A gente tem que atravessar rios, córregos, travessias. Mas a gente tem uma equipe muito preparada, acostumada a fazer grandes obras. Eu acredito que teremos isso nessas obras”, disse.

O dirigente sindical no setor de políticas agrícolas e agrárias do município de Jataúba, Fernando Paiva, lamenta ter que viver sem chuvas na região há muito tempo. Mas para ele, o sofrimento da população vai acabar com a chegada da adutora.

“Essa água chegando aqui, vai, sem dúvida, ser um grande benefício. Se não um dos maiores que a população do nosso município poderia conquistar. A gente tinha a companhia de abastecimento que já está há alguns anos sem atuar na cidade. Quer dizer, aquela taxa de contribuição de água, a gente não paga há muito tempo justamente por isso. Porque não tem água nas torneiras, não tem água em nada”, conta Fernando, que também é agricultor familiar.

Além disso, os municípios de Caetés e Capoeiras também vão ser beneficiados com a construção de outra adutora. O investimento das obras vai ser de R$ 15,6 milhões.

O deputado federal Fernando Monteiro (PP-PE) conseguiu junto ao Governo Federal a liberação de R$ 384 milhões para a construção das duas adutoras. Para o parlamentar, o projeto dá mais esperança de vida para os pernambucanos. “É para ajudar, para melhorar. E essa possibilidade desse programa de enviar água e saneamento, do Ministério das Cidades, é uma coisa que me gratifica”, disse.

Alto Capibaribe

A obra vai levar água da Transposição do Rio São Francisco para o Agreste Setentrional. A área é considerada como uma das mais secas da região. De acordo com o governo de Pernambuco, a construção da adutora deve começar no primeiro semestre deste ano e finalizada no prazo de 12 meses.

A água será captada da Transposição no Rio Paraíba, entre a cidade de Barra de São Miguel e o Açude Boqueirão, na Paraíba. Os municípios pernambucanos de Santa Cruz do Capibaribe, Toritama, Jataúba, Vertentes, Vertente do Lério, Santa Maria do Cambucá, Taquaritinga do Norte e Frei Miguelinho serão beneficiados. A adutora terá 70 quilômetros de extensão e vai transportar uma vazão de 370 litros de água por segundo.

Caetés-Capoeiras

A adutora vai garantir o abastecimento de água para as cidades de Caetés e Capoeiras, localizadas no Agreste Meridional. A água transportada partirá da Estação de Tratamento de Água (ETA) do município de Garanhuns.

O investimento das obras vai ser de R$ 15,6 milhões. De acordo com a Compesa, o projeto vai garantir a regularidade do abastecimento das duas cidades, mesmo em períodos de estiagem.

A adutora terá cerca de 18 quilômetros e vai transportar uma vazão de 60 litros de água por segundo. Ainda segundo a companhia, a Estação de Tratamento de Garanhuns é abastecida por barragens com níveis de acumulação estabilizados, como a barragem do Cajueiro, de Inhumas e de Mundaú.

Agência do Rádio Mais


0 comentários:

Postar um comentário