Publicidade

Corpo do cantor sertanejo Cristiano Araújo é enterrado em Goiânia sob forte comoção


Cristiano Araújo foi enterrado no Cemitério Jardim das Palmeiras, em Goiânia  (Foto: Sílvio Túlio/G1)

O corpo do cantor Cristiano Araújo, de 29 anos, que morreu após um acidente de carro na BR-153, em Goiás, foi enterrado por volta das 12h desta quinta-feira (25), no Cemitério Jardim das Palmeiras, em Goiânia. Mais de 1.500 pessoas, entre familiares, amigos e fãs, acompanharam a cerimônia, segundo estimativas da Polícia Militar. Eles fizeram uma salva de palmas para se despedir do músico.

O sepultamento do cantor ocorreu após um cortejo de 15 km em um carro dos bombeiros, que partiu do Centro Cultural Oscar Niemeyer, onde o corpo foi velado por mais de 15 horas, até o local.

O pai de Cristiano Araújo, João Reis de Araújo, estava muito emocionado durante o enterro, assim como a mãe, Zenaide Melo, que chegou a passar mal. Outros parentes do cantor também estavam presentes, assim como os colegas de banda. Cristiano Araújo deixou dois filhos, João Grabriel e Bernardo.

Diferente do previsto inicialmente, o corpo da namorada do músico, Allana Moraes, de 19, que também morreu no acidente, não foi enterrado ao mesmo tempo que o de Cristiano. O sepultamento dela ocorreu antes, por volta das 10h30, no mesmo local.

O velório começou na tarde de quarta-feira (24). Durante toda a noite, familiares, amigos e fãs estiveram no local para prestar a última homenagem. Veja fotos da despedida.

Famosos, como os cantores Leonardo, Henrique e Juliano, Guilherme (da dupla com Santiago), Mariano (da dupla com Munhoz) e Bruno (da dupla com Marrone), foram se despedir do artista.



Por volta das 8h30 desta quinta-feira, uma missa foi celebrada pelo padre Marcos Rogério, da Paróquia Nossa Senhora da Assunção, igreja que o sertanejo frequentava.

Milhares de fãs enfrentaram mais de duas horas na fila para prestar homenagens ao ídolo. Alguns chegaram a dirigir mais de 11h para acompanhar a cerimônia. Segundo a Polícia Militar, até as 9h, cerca de 50 mil pessoas estiveram no velório.

Acidente
O acidente aconteceu por volta das 3h30 de quarta-feira, na altura do km 614 da BR-153, entre Morrinhos e o trevo de Pontalina, em Goiás, quando Cristiano voltava de um show em Itumbiara, no sul do estado. O veículo no qual ele estava, um Range Rover, saiu da pista e capotou.

Além do cantor e da namorada, também estavam no carro o motorista Ronaldo Miranda e um dos empresários do sertanejo, Vitor Leonardo, que estavam no banco da frente e se feriram. Eles seguem internados no Instituto Ortopédico de Goiás (IOG).

Segundo a unidade, ambos estão conscientes e têm quadro de saúde considerado estável. Ainda de acordo com o hospital, eles continuam na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) para observação, ainda sem previsão de quando serão liberados para o quarto.

Investigação
O delegado que investiga o caso, Fabiano Henrique Jacomelis, solicitou um laudo cadavérico das vítimas fatais e uma perícia no local do acidente. As análises devem apontar se elas usavam cinto de segurança no banco de trás no momento do acidente.

“O cantor e a namorada foram arremessados para fora do veículo, sendo assim, os indícios apontam que eles não usavam o cinto de segurança. Mas isso só será comprovado com o resultado dos laudos”, disse Jacomelis. Segundo ele, também há sinais de que o motorista e o passageiro do banco da frente estavam com cinto.

O Instituto Médico Legal (IML) de Goiânia confirmou que a causa da morte de Cristiano foi uma hemorragia interna na região do abdômen. “Após o exame necroscópico, pudemos observar que ele foi vítima de uma hemorragia aguda provocada por lesões de grandes vasos abdominais”, afirmou o gerente do IML, Marcellus ao G1.

Arantes disse que Cristiano também sofreu um traumatismo craniano encefálico, mas, apesar das lesões e do corpo ter sido encontrado fora do veículo, ainda não é possível determinar se o cantor estava sem cinto de segurança. “Só será possível confirmar isso após a finalização do laudo cadavérico, que deve sair daqui a dez dias. Esse documento é complementar ao laudo da perícia feita no local", destacou.

G1 GO

Comentários

Publicidade