Publicidade />

Após juiz mandar soltar Lula, Planalto está em estado de alerta


Todas as atenções do Palácio do Planalto estão voltadas para a soltura do ex-presidente Lula, com base em decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de proibir a prisão em segunda instância

Mesmo estando em Goiânia, onde participa de cerimônia para entrega de ônibus escolares, o presidente Jair Bolsonaro vem sendo avisado de todos os passos do petista.

No meio da tarde desta sexta-feira, 8 de novembro, o Planalto foi informado de que a soltura de Lula já foi expedida pela Justiça. O ex-presidente já estaria prestes a deixar a cela que ocupa em Curitiba desde abril de 2018.

A apreensão no entorno de Bolsonaro é grande, ainda que a maioria dos auxiliares do presidente acredite que será bom para o governo a radicalização entre a esquerda e a direita.

O Planalto prevê que parte da direita que abandonou Bolsonaro voltará a se aliar a ele. Aliados de Bolsonaro acreditam ainda que a radicalização entre os dois polos vai minar as candidaturas de centro.

Contagem regressiva

Entre os petistas, o clima é de festa. A contagem regressiva no partido já começou. Há, no entanto, uma discussão em torno do tom que deverá ser usado pelo ex-presidente após deixar a cadeia.

Uma coisa é certa, ressaltam aliados de Lula, ele vai criar muitos problemas para o governo, sobretudo ao adotar um discurso mais voltado para o social, sobretudo nas regiões mais pobres do país, que sofrem mais com o desemprego.

A piora dos indicadores sociais — o país ostenta hoje 13,5 milhões de pessoas vivendo na extrema pobreza — alimenta o discurso de Lula contra o liberalismo do governo Bolsonaro. Resta saber se as pessoas que votaram em Bolsonaro em protesto ao PT retornarão para os braços do ex-presidente.

Não é segredo para ninguém que muitos eleitores de Bolsonaro estão arrependidos com a forma como ele vem conduzindo o governo, especialmente por priorizar os filhos em muitas decisões.

Em mais de 10 meses de governo, Bolsonaro não economizou na polêmicas. Inclusive, seu partido, o PSL, está à beira da implosão graças à ação do presidente e dos filhos dele.

Por Correio Braziliense

Comentários

Publicidade