terça-feira, 21 de agosto de 2018

Polícias do Paraguai e do Brasil tentam localizar celular de brasileira morta a facadas

Erika Corte foi morta em Pedro Juan Caballero, onde estudava medicina (Foto: Reprodução/Facebook)

As polícias do Brasil e do Paraguai tentam localizar o celular da estudante de medicina Erika de Lima Corte, encontrada mortacom 19 facadas na madrugada de segunda-feira (20), no apartamento onde ela morava, em Pedro Juan Caballero, cidade vizinha a sul-mato-grossense de Ponta Porã.

A polícia do Paraguai pediu ajuda a policiais brasileiros para rastrear o celular da universitária e também na identificação de suspeitos. O Ministério Público do país vizinho solicitou à universidade onde ela estudava os nomes dos alunos matriculados no curso de medicina, do primeiro ao terceiro ano.

Investigação

O que já se sabe é que Erika teria se encontrado com dois homens na noite de domingo (19), um por volta das 20h, e outro, das 22h30.

Segundo o promotor, Gabriel Segovia, a jovem estava solteira, não tinha um relacionamento, mas segundo a investigação, ela conhecia ambos. O promotor disse ainda que não é possível afirmar se Erika estava envolvida com algum dos suspeitos atualmente.

No país vizinho, quem conduz as investigações é o Ministério Público. Caso o autor seja identificado, é o próprio órgão que oferece denúncia à Justiça.

Jovem era de MT

Erika é filha do ex-prefeito de Pontal do Araguaia, Raniel Antônio Corte, e da ex-secretária municipal de Educação, Marleide de Lima Corte. Ela foi servidora do município e trabalhou como enfermeira. O corpo da estudante deve ser levado para a cidade, onde a família mora. Em nota, a prefeitura lamentou a morte da jovem e decretou luto oficial de três dias.

Segundo a prefeitura, o pai de Erika se deslocou até Dourados para realizar os trâmites de traslado do corpo. Ainda não há previsão para o velório e sepultamento.

Por Carlos da Cruz, TV Morena


0 comentários:

Postar um comentário