domingo, 22 de março de 2015

Exposição homenageia o artista Abelardo da Hora, em São Paulo

Artista pernambucano Abelardo da Hora faleceu em 2014

Esculturas, desenhos e pinturas, em um total de 101 obras, formam a exposição de Abelardo da Hora em cartaz na Caixa Cultural, centro da capital paulista. “Esta exposição quer contá-lo como personagem completo: educador por excelência, desenhista, pintor, gravador”, ressalta o curador Renato Magalhães Gouveia sobre a mostra do artista, que morreu em setembro de 2014, aos 90 anos.

Entre os destaques estão as esculturas em bronze, como Menino de Mocambo e A Fome e o Brado. Ambas têm o tema da denúncia social, uma das marcas do trabalho do artista. Foi essa veia política que fez com que Abelardo fosse perseguido durante o período da ditadura militar. Integrante do então clandestino Partido Comunista, o artista contava que havia sido preso mais de 70 vezes.

Também está presente a série de 22 desenhos Meninos do Recife. Figuras de aspecto sofrido que engraxam sapatos, esmolam e dormem ao relento integram os desenhos. “Habitantes desse pântano sem escrituras, sem títulos. Submetidos ao ócio que gera a fome e o vício. E um calendário implacável de misérias e imprevistos”, definiu o artista em seu poema que dá nome a coleção desenhos.

Podem ser vistas ainda fotos e a maquete da Torre de Iluminação Cinética construída no Recife (PE), em 1961. A obra, no entanto, foi destruída em 1964 pelo regime ditatorial. Essas perseguições motivaram a viagem de Abelardo para São Paulo, onde foi acolhido pelo casal Lina Bo e Pietro Maria Bardi.

Para disseminar sua visão de arte engajada, Abelardo ajudou a fundar o Movimento de Cultura Popular (MCP), criado na gestão do então prefeito do Recife, Miguel Arraes, entre 1960 a 1962. A partir dessa organização, da qual também participaram o educador Paulo Freire e o escritor Ariano Suassuna, ele criou a Galeria de Arte, o Centro de Artes Plásticas e Artesanato e as praças de cultura, no Recife.

A exposição pode ser visitada até o dia 10 de maio. No dia 11 de abril será lançado o catálogo da mostra. Na ocasião, será ministrada a palestra Abelardo da Hora - 90 Anos de Arte, onde será tratada a trajetória artística e política de Abelardo.

Agência Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário