Publicidade

Armando Monteiro poderá usar imagem de Eduardo Campos na campanha


A Justiça Eleitoral em Pernambuco negou nesta segunda-feira, 18, o pedido feito pela coligação Frente Popular, encabeçada pelo candidato do PSB ao governo do Estado, Paulo Câmara, para que fosse proibido o uso da imagem de Eduardo Campos na campanha do adversário Armando Monteiro (PTB) - líder na disputa.

A campanha de Monteiro já tinha montado uma homenagem para veicular hoje nos primeiros programas eleitorais da TV e do rádio, usando a imagem e mencionando Campos e sua proximidade política com Monteiro.

Na noite de ontem, em uma reunião extraordinária da campanha, Monteiro e os coordenadores discutiram de que forma será veiculada essa homenagem. Uma possibilidade, que será decidida até hoje pela manhã, é a menção ao nome do ex-governador morto sem o uso de sua imagem.

A ação cautelar foi enviada pela Frente Popular, em nome da viúva, Renata Campos, e dos cinco filhos do ex-governador morto. O objetivo era evitar que Monteiro tente se apropriar da popularidade de Campos (reeleito governador do Estado em 2010 com 83% dos votos) usando sua aliança do PTB com o PSB durante os dois mandatos (2006-2010 e 2011-2014).

Monteiro e o PTB deixaram a Frente Popular no início do ano, quando Campos decidiu sem consenso da aliança lançar Paulo Câmara (homem de sua confiança) candidato. "Quem deixou a aliança foram eles", afirmou Monteiro.

O pedido para proibição judicial do uso da imagem era uma intenção de Campos, que já havia comunicado a campanha no Estado para que elaborasse o pedido, prevendo que Monteiro fosse explorar essa proximidade.

HOMENAGEM - Hoje, um dia após o enterro de Campos, o PSB em Pernambuco reabriu a campanha eleitoral no Estado. A viúva, Renata Campos, foi a fiadora da estratégia da coligação de apresentar ao eleitor a vitória de Câmara como uma homenagem à memória do ex-governador.

"Temos que usar a imagem do Eduardo Campos sim. Os materiais já prontos podem ser usados e vamos fazer ainda mais. Porque é isso que ele faria se estivesse aqui", afirmou o presidente estadual do PSB, Seleno Guedes, durante o encontro do partido.

O candidato ao Senado pela coligação, Fernando Bezerra (PSB), afirmou que o ato de ontem marcava o reinício da campanha após a tragédia e que Campos estará presente na disputa em Pernambuco. "Ele vai falar pelas palavras da Renata".


N1 10 Gia Eleitoral

Comentários

Publicidade