Publicidade

Justiça eleitoral condena golpe da Veja


Após veicular reportagem com denúncias sem provas contra a presidenta Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a Editora Abril foi condenada a“publicar, imediatamente”, direito de resposta da coligação Com a Força do Povo no site da revista conservadora de ultradireita Veja, segundo sentença do ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Admar Gonzaga. O mandado foi expedido neste sábado, 24 horas após divulgação de matéria na Veja, com acusações do doleiro Alberto Yousseff.

A revista estampou, na capa que se transformou em material de campanha, o título “Tudo o que você queria saber sobre o escândalo da Petrobras: Dilma e Lula sabiam”, o maior e mais escancarado golpe midiático das últimas décadas, repercutido na noite deste sábado no Jornal Nacional, da Rede Globo de Televisão, aliada política da Editora Abril.

“Concedo a liminar para a veiculação do direito de resposta requestado e, assim, determinar à Editora Abril S.A. que insira, de imediato, independentemente de eventual recurso, no sítio eletrônico da Revista Veja na internet, no mesmo lugar e tamanho em que exibida a capa do periódico, bem como com a utilização de caracteres que permitam a ocupação de todo o espaço indicado”, ordenou o ministro, com o prazo de 24 horas para que o réu apresente sua defesa.

Ato contínuo à decisão do TSE, os advogados da Editora Abril apresentaram petição ao Supremo Tribunal Federal (STF) e pretendem fazer com que a distribuição caia nas mãos do ministro Gilmar Mendes, que tem concedido decisões favoráveis à empresa em outros processos. A campanha da presidenta Dilma divulgar uma nota, em uma rede social, leia a seguir.

Correio do Brasil

Comentários

Publicidade