Publicidade

Quadrilha passou noite em casa de família de gerente antes de sequestro, na BA

Família de gerente foi solta, mas polícia procura envolvidos no crime (Foto: Carlos José/Site: Voz da Bahia)

Os criminosos que fizeram familiares de uma gerente do Banco do Brasil de Catu, na região metropolitana de Salvador, como reféns na manhã desta quinta-feira (3) passaram a noite e a madrugada com a família, antes de levá-los sequestrados de Alagoinhas, cidade onde residem a funcionária da agência, a mãe e o irmão dela.

Segundo informações de Henrique Morais, titular da Delegacia Territorial de Catu, o crime está sendo tratado como tentativa de extorsão mediante sequestro.

"A gerente relatou que primeiro os homens abordaram o irmão dela, que estava retornando da academia, entraram na casa e prenderam a família durante toda a noite. De manhã, o grupo pegou os dois familiares da gerente [mãe e irmão] e os levou para um local desconhecido, determinando que a gerente fosse até a agência e retirasse todo o dinheiro que estava no cofre", relatou Morais.

O titular também informou que, ao chegarem na agência, outros funcionários perceberam que a colega estava com um comportamento estranho e ligaram para a delegacia. A situação foi registrada por volta das 9h desta quinta.


Enquanto isso, a Polícia Civil, juntamente com a Polícia Militar, realizou buscas pela região de Catu. Por volta das 12h, a polícia foi informada de que os familiares haviam sido libertados.

"A família foi liberada em Salvador. Não podemos divulgar o local. A mãe e o irmão dela não sofreram ferimentos e estavam com os policiais para prestar o depoimento", revelou o delegado. "Como viram que o plano não tinha dado certo, eles [bandidos] deixaram a família e fugiram", acrescentou.

Até por volta das 15h30 desta quinta-feira, nenhum dos envolvidos no crime havia sido preso. As polícias de Catu, Alagoinhas e Salvador fazem diligências para localização e prisão dos criminosos. O G1 entrou em contato com o Banco do Brasil, que ficou de se posicionar sobre a situação. A polícia ainda não sabe informar quantos homens participaram da ação.

G1 BA

Comentários

Publicidade