Publicidade

PRE quer cassar gestores de Orobó e Itapissuma

Segundo PRE, Chaparral (Orobó) teria distribuído peixes, enxovais e presentes no dia das mães

Com menos de um mês de gestão, os prefeitos eleito José Bezerra Filho- conhecido como Zé de irmã Teca (Itapissuma)-, e o reeleito Cleber da Silva, conhecido como Chaparral (Orobó), ambos do PSD, podem ser cassados pela Justiça Eleitoral. No pedido, a Procuradoria Regional Eleitoral em Pernambuco (PRE-PE) alega que eles praticaram abuso de poder econômico e político durante a campanha eleitoral em 2016.

De acordo com a Procuradoria, os dois “candidatos praticaram irregularidades que comprometem uma disputa eleitoral equilibrada e, por isso, são considerados inelegíveis nos termos da Lei Complementar nº 64/90 (Lei da inelegibilidade) e devem ter os respectivos registros de candidatura cassados”. Ambos podem ficar inelegíveis por oito anos e pagarem multa.
Em Itapissuma, na Região Metropolitana do Recife, o ex-prefeito Cláudio Luciano da Silva Xavier, conhecido como Cal Volia (PSDB), teria utilizado recursos públicos para contratar o show do cantor Bell Marques (ex Chiclete com Banana) às vésperas das eleições. Na ocasião, ex-prefeito e sucessor participaram do show em cima do trio elétrico, fazendo referências ao número “55”.

Para a PRE-PE, o fato de o evento ter sido custeado pela Prefeitura configura abuso de poder econômico, enquanto a presença dos candidatos no trio elétrico com um artista de grande popularidade consiste em abuso de poder político. “É inequívoca a ocorrência de ampla divulgação extemporânea da figura do candidato Zé de irmã Teca, com o uso constante de slogans associados à sua imagem e às cores do partido. A finalidade, obviamente, era a de propagar a imagem deste recorrido para o pleito que estava por vir”, diz o parecer.

Já em Orobó, no Agreste, o abuso de poder político e econômico do prefeito reeleito foi constatado “devido à constante distribuição de valores e benefícios para a população, assim como ocasiões de promoção pessoal em inauguração de obras públicas”. Segundo a PRE-PE, Chaparral promovia, com recursos públicos e em ano eleitoral, eventos de doações de peixes, enxovais para recém-nascidos, linhas para artesãs e presentes no dia das mães. “Revela-se insustentável não reconhecer a ocorrência de diversos atos ilícitos”, diz o parecer.

O diploma de Chaparral já havia sido cassado pelo juiz da 96ª zona eleitoral em novembro. Contudo, o processo encontra-se no gabinete da relatora, aguardando julgamento. Já o pedido de cassação de Zé de irmã Teca tramita no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A reportagem da Folha de Pernambuco tentou contato com os dois prefeitos, mas não obteve sucesso.

Folha de Pernambuco

Comentários

Publicidade