domingo, 21 de janeiro de 2018

Criptomoeda brasileira, Dynasty atuará com lastro no mercado imobiliário mundial

Além de ajudar na regulamentação das operações globais, empresa lançará em 2018 a criptomoeda D¥N, com mais de US$ 500 milhões em imóveis no portfólio; Credit Suisse ficará responsável pela gestão da carteira líquida da empresa

Um grupo de empreendedores brasileiros centralizados no Crypto Valley, principal área para desenvolvimento de ecossistemas tecnológicos, localizado em Zug, na Suíça, lançará em março a criptomoeda D¥N, com lastro no mercado imobiliário mundial.

A empresa promete revolucionar o segmento das finanças - na vertente digital - ligando suas operações com o mercado de real estate. O portfólio de imóveis da Dynasty contará com mais de US$ 500 milhões em empreendimentos nas principais cidades do mundo. "São propriedades prontas para a aquisição, que garantem o valor da moeda fora do âmbito digital. Ou seja, cada D¥N representará um pedaço de chão no mercado imobiliário mundial", diz Eduardo Carvalho, global manager da Dynasty.


Para a definição destes imóveis, a Dynasty conta com um time internacional de especialistas imobiliários, localizados nos Estados Unidos, Europa, China, Oriente Médio e América Latina. A gestão da carteira líquida da empresa será realizada pelo Credit Suisse, banco suíço, que acompanhará cada transação comercial.

Pela regra do negócio, os investidores que incluírem o D¥N em suas carteiras terão uma fração do portfólio Dynasty. As operações poderão variar entre aquisição total ou parcial de imóveis, aquisição de títulos de fundos imobiliários e aquisição de participação em construtoras e incorporadoras.

Junto com Carvalho, que vem do mercado de real estate, uma rede mundial foi formada para que o negócio seja consistente e seguro. O projeto vem sido moldado há dois anos e os investimentos já passam de CHF 2 milhões (valor em francos suíços, que representa pouco mais de US$ 2 milhões). Cerca de 40 pessoas espalhadas em Zug (Suíça), Nova Iorque, Barcelona e São Paulotrabalham na iniciativa nas áreas financeira, jurídica e de tecnologia.

Acordos mundiais reforçam segurança

Para não cair nas incertezas das criptomoedas que já existem e trazer segurança para o investidor nesta nova vertente de atuação, o grupo vem trabalhando na regulamentação do setor por meio de acordos mundiais.

A Dynasty utiliza procedimentos já conhecidos pelos bancos internacionais para garantir proteção contra fraudes: o KYC (Know Your Customer), que possibilita a identificação e verificação dos seus clientes, e o AML (Anti-Money Laundering), conjunto de procedimentos para impedir a geração de renda em fundos ilegais e lavagem de dinheiro. "É um caminho sem volta. As aplicações com moedas digitais são temas de debates ao redor do mundo", analisa Carvalho.

Sobre a Dynasty:

A Dynasty é um Fundo Imobiliário que opera sobre uma plataforma tecnológica com Inteligência Artificial para investimentos em ativos imobiliários em Blockchain. A companhia suíça lançou a criptomoeda D¥N, com lastro no mercado imobiliário mundial. O sistema conta com duas ferramentas antifraude, KYC (Know Your Customer) e AML (Anti-Money Laundry).

Misasi


0 comentários:

Postar um comentário