Publicidade

Prefeito de Mariana (MG) é internado com suspeita de infarto

O prefeito de Mariana, Duarte Júnior, durante coletiva sobre o rompimento de barragens da mineradora Samarco no distrito de Bento Rodrigues (Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil)

O prefeito de Mariana, Duarte Júnior, de 35 anos, foi internado na manhã deste domingo (8) e passa por uma bateria de exames no Hospital Monsenhor Horta. A suspeita é que ele tenha sofrido um princípio de infarto na manhã de hoje. Segundo boletim médico divulgado pela assessoria de imprensa do prefeito, "foi constatada alteração no exame de eletrocardiograma nos primeiros atendimentos feitos na Policlínica Municipal". O estado de saúde de Duarte Júnior é estável.

Duarte Júnior concedeu ontem (7) entrevista à imprensa. Na avaliação do prefeito, a mineradora Samarco errou na maneira como informou os moradores sobre o rompimento de duas barragens de rejeito (que concentra resíduos do processo de mineração) no distrito de Bento Rodrigues, zona rural de Mariana, e cobrou que os responsáveis sejam identificados. “A verdade precisa ser dita e as responsabilidades apuradas”, destacou.

Duarte avaliou que a decisão da mineradora de telefonar para a Defesa Civil, para a prefeitura e para líderes comunitários não foi adequada, porque a lama chegou ao povoado em cerca de 10 minutos. "Foi muito falha essa forma de comunicação. O ideal era que houvesse uma sirene, um botão de pânico".

Sinalização sonora

A Samarco, mineradora responsável pelas duas barragens que se romperam na última quinta-feira (5), instalou ontem um sistema de sinalização sonora para o caso de novo rompimento de barragem. O engenheiro e gerente de Projetos da empresa, Germano Silva Lopes, explicou que a instalação do sistema foi um pedido da própria equipe de busca e resgate que trabalha no local atingido pela lama.

Buscas

Os trabalhos de busca e resgate no distrito de Bento Rodrigues, na zona rural em Mariana (MG), começaram por volta das 6h de hoje (8), após o temporal que caiu na região durante a madrugada. Homens do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais, do Exército e da Defesa Civil do estado buscam 28 pessoas que continuam desaparecidas após o rompimento das duas barragens.

Agência Brasil

Comentários

Publicidade