Publicidade

Frases do dia 28/05/2015: Coletânea IHU Online


O mundo da bola 1

"Ano após ano, campeonato após campeonato eles corromperam o futebol mundial para servir a seus interesses pessoais e enriquecer" - Loretta Lynch, procuradora-geral dos Estados Unidos – Folha de S. Paulo, 28-05-2015.

O mundo da bola 2

“A frase escancarou a realidade do mundo da bola” – Paula Cesarino Costa, jornalista – Folha de S. Paulo, 28-05-2015.

Tolos, ingênuos e iludidos

“Em 2014, o escritor inglês Nick Hornby escreveu artigo em que dizia: "O cheiro do dinheiro em torno desta Copa do Mundo é mais desagradável e mais perturbador do que jamais foi". Questionava se era possível admirar um esporte cujos administradores, jogadores e dirigentes parecem ter sido levados à loucura pelas recompensas financeiras que ele oferece. Dizia suspeitar que, aos torcedores do futebol, cabia o papel de tolos, ingênuos e iludidos da história, limitados a aplaudir” – Paula Cesarino Costa, jornalista – Folha de S. Paulo, 28-05-2015.

Maracutaia

“Se há uma investigação em curso --e prisões já feitas-- sobre a concessão das Copas de 2018 e de 2022 à Rússia e ao Qatar, respectivamente, não consigo encontrar uma só razão para não desconfiar de alguma maracutaia na outorga ao Brasil” – Clóvis Rossi, jornalista – Folha de S. Paulo, 28-05-2015.

Campanha

“De fato, todos os países que hospedaram Copas fizeram uma formidável campanha para convencer Blatter e a sua corte a lhes outorgar o direito” – Clóvis Rossi, jornalista – Folha de S. Paulo, 28-05-2015.

Copa no Brasil

“Diga-se que a campanha pela Copa no Brasil não foi apenas do governo central. Ao contrário, foi uma tarefa de Estado, de que dá prova o comparecimento em Zurique, no dia do anúncio, de uma penca de autoridades, entre elas os então governadores Aécio Neves (PSDB-MG) e Sérgio Cabral (PMDB-RJ)” – Clóvis Rossi, jornalista – Folha de S. Paulo, 28-05-2015.

Copa no Brasil 2

“Como o governo brasileiro também funciona com pouca transparência (vide o escândalo envolvendo a Petrobras), é absolutamente natural que se desconfie quando ele se junta a uma entidade cujo vice-presidente, José Maria Marin, está preso agora” – Clóvis Rossi, jornalista – Folha de S. Paulo, 28-05-2015.

Padrão Fifa

Breaking news! O Marin foi preso na Suíça! Prisão padrão Fifa!” – José Simão, humorista – Folha de S. Paulo, 28-05-2015.

Padrão Fifa 2


“O Marin devia ser transferido pra Curitiba!” – José Simão, humorista – Folha de S. Paulo, 28-05-2015.

Preferencial

“O MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto) vai ocupar ao menos dez agências da Caixa em São Paulo na sexta-feira em protesto contra o ajuste fiscal. O grupo cobra do governo a liberação de recursos para habitação bloqueados” – Vera Magalhães, jornalista – Folha de S. Paulo, 28-05-2015.

Quinta divisão

“Um país da quinta divisão da União Europeia, a Grécia, está assustando os da primeira divisão com sua rebeldia. A Grécia é o primeiro país em que a reação à receita de sacrificar a maioria para resolver a crise tomou forma política. Foi eleito um partido de esquerda disposto a não seguir o caminho da austeridade, e sua atitude malcriada está assustando todo o mundo. A reação ganhou uma cara e um estilo na figura do ministro da Fazenda escolhido pelo primeiro-ministro Alexis Tsipras, Yanis Varoufakis, que tem percorrido a Europa falando com os chefes da economia com o que o International New York Times chamou de uma “voz desafiadora” e não deixando ninguém menos nervoso com o que diz” – Luís Fernando Verissimo, escritor – Zero Hora, 28-05-2015.

Pruridos morais

“Varoufakis tem pinta de rock star, usa casacos de couro e anda de motocicleta, e o que tem dito para os seus pares europeus é que a crise tem um componente moral que não pode ser omitido do debate econômico. Não é moral que uma geração inteira seja martirizada para debelar uma crise da qual ela não é culpada. Seus críticos dizem que a União Europeia não é lugar para pruridos morais e que o importante é seguir as regras para que o mercado comum sobreviva e que, no caso de uma debacle do mercado, a maior prejudicada seria a própria Grécia” – Luís Fernando Verissimo, escritor – Zero Hora, 28-05-2015.

Fonte: IHU Online

Comentários

Publicidade