sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Prêmio Naíde Teodósio de Estudos de Gênero bate recorde de inscrições em 2017



Gênero nas escolas é realidade em Pernambuco. O reconhecimento está no número recorde de trabalhos inscritos para o Prêmio Naíde Teodósio de Estudos de Gênero que na 10ª Edição contabilizou 1.618 inscrições. Número recorde desde a criação do prêmio, em 2007.

As redações de estudantes de ensino médio e técnico subseqüente somaram o maior número de trabalhos apresentados: 1.467. Em seguida, estão os artigos científicos: 122. Na sequência, estão 22 projetos e relatos de experiência pedagógica e sete roteiros para vídeo documentário de curta-metragem. Participaram do processo, estudantes, professoras e professores de todas as regiões do estado.
A gerente de Formação em Gênero da Secretaria da Mulher de Pernambuco, Juliane Oliveira, explica que o aumento no número de inscrições no prêmio se deve principalmente, a consolidação da Política de Gênero em Pernambuco, são dez anos de políticas e ações voltadas ao enfrentamento da discriminação de gênero, étnico-racial, etária, de orientação sexual e de classe.

A comissão julgadora do prêmio iniciou o processo de enquadramento dos trabalhos. Trata-se de uma análise que vai selecionar os trabalhos que estão de acordo com as normas do edital. Já no dia 05 de setembro será publicada no Diário Oficial do Estado (DOE-PE), no site da SecMulher-PE e da Facepe as inscrições aceitas. Depois dessa etapa começa a análise e julgamento dos trabalhos que vai de 11 a 22 de setembro. E finalmente, no dia 29 de setembro será publicado no DOE-PE o resultado final. Os premiados participaram da grande cerimônia de entrega dos prêmios e certificados no dia 05 de dezembro de 2017.

O Prêmio Naíde Teodósio de Estudos de Gênero é realizado pela Secretaria da Mulher de Pernambuco, Secretaria de Educação (SEE), a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI), a Secretaria de Planejamento e Gestão (SEPLAG), a Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia de Pernambuco (Facepe), a Companhia Editora de Pernambuco (Cepe), a Fundação do Patrimônio Artístico e Histórico de Pernambuco (Fundarpe), a Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj) e o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco (IFPE).

SecMulher-PE


0 comentários:

Postar um comentário