quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Petrolândia vai integrar a Rede Pernambucana de Pesquisa e Educação

Projeto REPEPE foi instituído por decreto e pode alcançar cerca de 400 entidades até 2018

Até 2018, Pernambuco terá uma rede digital com 1.175 km de extensão, interligando 20 municípios em 10 regiões de desenvolvimento a partir de banda larga de alta performance (1 a 10 Gigabytes). Com recursos na ordem de R$ 10 milhões já garantidos para aquisição de equipamentos e transmissão, a Rede Pernambucana de Pesquisa e Educação (REPEPE) focará, inicialmente, em instituições de ensino, pesquisa e inovação, além dos Arranjos Produtivos Locais (APLs). A expectativa é que, até o fim deste ano, quatro municípios estejam com infraestrutura pronta para ramificar as conexões aos centros de pesquisa e educação.

Com isso, o Governo de Pernambuco, através da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), estimula a aceleração da inovação e da competitividade econômica baseados em cooperação e conhecimento. A iniciativa faz parte da Estratégia de Ciência, Tecnologia e Inovação para Pernambuco 2017-2022 (ECTI-PE), documento elaborado pela Secti para guiar as políticas públicas no estado relacionadas à CT&I.

Através da Etapa Rio São Francisco, integrarão a REDEPE instituições situadas em Petrolândia, Floresta, Itacuruba, Belém do São Francisco, Cabrobó e Petrolina. 

Alinhada à Estratégia, a REPEPE tem como diferencial um modelo de negócio inovador, baseado em parcerias público-privadas voluntárias, propiciando, inclusive, a redução de custos e o compartilhamento de benefícios. O convênio de cooperação técnica e integração de infraestrutura entre Celpe, Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) e Secti já foi assinado, garantindo a espinha dorsal do projeto com potencial para alcançar mais de 400 entidades, como Centros Tecnológicos do Instituto de Tecnologia de Pernambuco (Itep), além de escolas e de outras instituições a partir de parcerias com outros órgãos estaduais e municipais, como centros de inovação, a exemplo do Armazém da Criatividade, em Caruaru, escolas técnicas e hospitais de ensino.

O recurso de R$ 10 milhões será aportado pela Secti – dentro do Programa de Produção e Difusão de Inovações para a Competitividade de Arranjos Produtivos Locais do Estado de Pernambuco (PROAPL), financiado pelo BID.

(Secti)/SEI-PE


0 comentários:

Postar um comentário