terça-feira, 11 de julho de 2017

Mais de 7 mil inscritos para a seleção do Curso Técnico em Agronegócio do SENAR em uma semana

Inscrições vão até o dia 20 - Rosângela e Antônio, casal de alunos do polo de Quixadá (CE)

Ter a chance de fazer um curso de nível técnico certificado pelo MEC, de qualidade reconhecida, inteiramente gratuito, podendo assistir a maior parte das aulas onde for mais conveniente e, ainda por cima, ganhar experiência prática. Os motivos alegados por muitos, explicam a concorrência crescente na seleção para o Curso Técnico em Agronegócio do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR). Em uma semana de inscrições, mais de 7 mil candidatos já concorrem às 2.055 vagas oferecidas em 55 polos da rede, espalhados por 18 estados do País. As inscrições, feitas no site http://etec.senar.org.br/ vão até o próximo dia 20. A expectativa é que o número de candidatos bata novo recorde, como na última seleção, realizada em janeiro último, quando a concorrência atingiu a proporção de sete candidatos por vaga, chegando a 27 candidatos por vaga em alguns polos, como o de Balsas (MA).

Presente em 23 estados e no Distrito Federal, com um total de 99 polos de apoio presencial, a Rede e-Tec Brasil no SENAR tem hoje oito mil alunos regulares e são eles os principais responsáveis pela propaganda positiva do Curso Técnico em Agronegócio. André Serafim Gabriel, aluno do polo de Braço do Norte (SC), cita vários fatores diferenciais do curso. “Ele é a distância mas tem todo um aparato muito forte. Aparato de um material didático de primeira qualidade, de apoio de tutores muito qualificados e atenciosos, tanto nas videoaulas como nas aulas presenciais. Tem também toda a logística que o SENAR disponibiliza e ainda as aulas práticas, com visitas técnicas, fechando esse ciclo positivo que torna o aprendizado consistente. Então o curso é bem bacana, maravilhoso”.
No Ceará, o casal Antônio Ferreira Neto e Rosângela Teixeira (foto) frequenta o polo de Quixadá desde o início deste ano e o entusiasmo pelo curso é cada vez maior. “Essa iniciativa do SENAR é de grande valor. O curso é bem bacana e tem a vantagem de ser gratuito e a distância. Nós moramos em Jucás, a 280 quilômetros de Quixadá, então se tivéssemos que assistir aulas no polo todos os dias não teríamos condições físicas e nem financeiras para estar indo e voltando. Então, nós só vamos ao polo para as aulas práticas, que são ótimas. Além disso, nós não temos condições no momento de pagar por um curso tão bom quanto este, e o SENAR está nos dando a oportunidade de fazer de graça. O SENAR tá abrindo e a possibilidade de uma bela carreira pra um monte de gente”.

Casamento entre teoria e prática

O Curso Técnico em Agronegócio do SENAR forma profissionais especializados no planejamento, organização e controle das atividades de gestão do setor agropecuário. O aluno sai preparado para trabalhar tanto em uma fazenda como em empresas e indústrias do ramo, assim como em serviços de assistência técnica, extensão rural e pesquisa. Um mercado de trabalho em franca expansão. A formação tem carga horária de 1.230 horas divididas em quatro semestres e, facilitando o acesso de quem vive no campo, 80% do conteúdo são disponibilizados na internet e reforçados por videoaulas e apostilas impressas elaboradas exclusivamente para o curso.

As aulas presenciais nos polos ou em campo enriquecem a aprendizagem e dão mais segurança aos alunos. “O aluno tem que ter essa visão transversal e tem que fazer a conectividade do conteúdo que está sendo ministrado com a realidade que ele vai encontrar no campo na hora de aplicar seus conhecimentos” – explica o tutor Mauro Muzell. “Então, o que nós fazemos é justamente propiciar que o aluno tenha uma sólida conceituação, que entenda teoricamente como todo o processo se dá e, visitando uma unidade de produção, ele possa fazer o casamento da teoria e da prática pela observação. Nas aulas práticas ele encontra todas as condições reais, assim como na hora em que for desenvolver sua atividade profissional”.

Esse casamento entre a teoria e a prática de que fala o tutor é exatamente o que André Serafim busca no curso. Advogado, atuando em sua área, ele pretende conciliar a profissão com a atividade rural. “Meus pais têm uma propriedade aqui no interior, em Içara. E, após a conclusão do curso, pretendo explorar algum nicho do agronegócio que possa gerar rentabilidade financeira. O curso é muito focado na parte de gestão e aborda toda a cadeia produtiva do agronegócio. As visitas técnicas são muito produtivas. Nelas você consegue esmiuçar todo o conteúdo, tirar suas dúvidas e assimilar os conhecimentos de forma bem positiva”.

Antônio e Rosângela já concluíram o Ensino Médio há algum tempo e agora também voltaram a estudar pensando em trabalhar na administração do pequeno sítio de propriedade da família dela. “Quero aprender mais sobre o campo, o agronegócio, ter mais conhecimento”, diz Antônio. Ele gosta especialmente das visitas técnicas feitas à propriedades rurais e agroindústrias. “Nas aulas de campo você tá ali vendo, praticando o que aprende na internet e no polo. Outro dia fomos visitar uma propriedade de produção de leite e isso me agregou novos conhecimentos. Estou aprendendo muitas coisas que eu não sabia”.

Assessoria de Comunicação do SENAR


0 comentários:

Postar um comentário