segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

Prefeito do Rio quer criar "bueiro eletrônico" para controlar enchentes na cidade


Sensores controlariam quantidade de detritos. 'O grande problema das nossas enchentes é lixo em bueiro', destacou o prefeito.

O prefeito do Rio, Marcelo Crivella, disse na tarde desta segunda-feira (26), em um evento no Palácio da Cidade, em Botafogo, Zona Sul do Rio, que estuda instalar bueiros eletrônicos na cidade para resolver o problema das enchentes.

“Se eu tivesse que elogiar uma obra do Eduardo [Paes], são os piscinões: Vanhargem, Maracanã e Praça da Bandeira. Tivemos um problema em um rio que não está canalizado no piscinão. Mas a água na Praça da Bandeira foi muito menor do que tínhamos antes, onde inclusive já morreu um cidadão. Os piscinões estão funcionando bem, a cidade teve problemas em diversos pontos. Hoje eu estava falando sobre bueiro eletrônico, são sensores que a gente coloca nos bueiros para controlar o lixo. E aí a gente vai limpar dois mil bueiros, que serão comandados eletronicamente, em áreas que costumam alagar. Porque no fundo, o grande problema das nossas enchentes é lixo em bueiro”, destacou Crivella.

Enchentes


No dia 15 de fevereiro, o Rio de Janeiro enfrentou um temporal que causou a morte de quatro pessoas. Um homem e uma mulher estavam em casa e foram atingidos por um deslizamento de terra em Quintino. Em Realengo, um policial militar ia para o trabalho de carro quando uma árvore caiu sobre o veículo e o matou. Em Cascadura, um adolescente de 12 anos também morreu.

A forte chuva também causou o alagamento de ruas em diversos pontos da cidade, a queda de árvores e problemas no fornecimento de energia.

O prefeito não estava na cidade durante o temporal. Ele havia embarcado para o exterior no dia 11 de fevereiro e publicou um vídeo informando sobre a viagem em suas redes sociais.

“Só aproveitando essa folguinha de carnaval para ir buscar uma coisa que o Rio estava precisando'', destacou Crivella.

Após a chuva, o prefeito postou em sua página do Facebook que estava “acompanhando a situação” e “atento para qualquer emergência”.

Crivella voltou a participar de um compromisso público no Rio de Janeiro no dia 17 de fevereiro, quando participou da cerimônia de apresentação do novo interventor federal no Palácio Guanabara, sede do poder estadual, ao lado do presidente Michel Temer, do governador Luiz Fernando Pezão e de outras autoridades.

Na sexta-feira (23), o Rio voltou a registrar chuva forte. Grandes transtornos também foram registrados em municípios da Região Metropolitana, como Niterói e São Gonçalo, que tiveram ruas alagadas. A cidade só voltou ao Estágio de Normalidade no sábado (24).

G1 RJ


0 comentários:

Postar um comentário