segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

Ocupação informal cresce mais de 6% no Brasil

IESS aponta necessidade de retomada de postos de trabalho formais para a contratação de planos de saúde

O número de pessoas ocupadas no Brasil subiu 1,6% entre o terceiro trimestre de 2017 e o mesmo período do ano passado. O que representa o acréscimo de 1,4 milhão de trabalhadores no País, totalizando 91,3 milhões de pessoas ocupadas, segundo o boletim Conjuntura Saúde Suplementar, do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS). Contudo, o aumento não refletiu em um incremento no total de vínculos com planos de saúde coletivos empresariais, aqueles oferecidos pelas empresas aos seus colaboradores, que recuaram 0,7% no mesmo período.

O superintendente executivo do IESS, Luiz Augusto Carneiro, explica que o aumento do total de empregos não influenciou positivamente o total de beneficiários de planos de saúde de assistência médico-hospitalar, como o mercado esperava, pois este incremento foi puxado pelos empregos informais e trabalhos autônomos. "Considerando apenas o total de postos de trabalho com carteira assinada, houve uma redução de 2,8% no total de empregos entre o terceiro trimestre de 2017 e o mesmo período de 2016", afirma.

Conforme o boletim, o total de trabalhadores informais aumentou 6,2% no período analisado. Já o de autônomos, avançou 4,8%. "Sem carteira assinada, trabalhando na informalidade ou de maneira autônoma, os profissionais não recebem benefícios como o plano de saúde médico-hospitalar ou odontológico das empresas onde atuam", completa Carneiro.

O executivo destaca, ainda, que mesmo que o avanço da taxa de ocupação se concentrasse integralmente no mercado formal ainda seria cedo para falar em recuperação do setor de saúde suplementar. "Nos últimos anos, o setor perdeu mais de 3 milhões de beneficiários, 2 milhões apenas nos planos coletivos empresariais. Não há sinais econômicos que indiquem uma mudança de rumo em curto prazo, como uma expressiva retomada da criação de empregos formais no setor de comércio e serviços", conclui.

Sobre o IESS
O Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS) é uma entidade sem fins lucrativos com o objetivo de promover e realizar estudos sobre saúde suplementar baseados em aspectos conceituais e técnicos que colaboram para a implementação de políticas e para a introdução de melhores práticas. O Instituto busca preparar o Brasil para enfrentar os desafios do financiamento à saúde, como também para aproveitar as imensas oportunidades e avanços no setor em benefício de todos que colaboram com a promoção da saúde e de todos os cidadãos. O IESS é uma referência nacional em estudos de saúde suplementar pela excelência técnica e independência, pela produção de estatísticas, propostas de políticas e a promoção de debates que levem à sustentabilidade da saúde suplementar.

Letra Certa Estratégia e Tática em Comunicação


0 comentários:

Postar um comentário