quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

Jatobá de Tacaratu: Sinhô - o bode que deu leite

UM BODE que da leite... O phenomeno tem assombrado a população de Tacaratu. O fim dos tempos... SINHÔ - o bode de Jatobá que dá leite...  

     O impossível tem sido, sempre, uma forma illogica da possibilidade... 
     Um boi que vôa, por exemplo, ja foi uma coisa impossível, para os que não viveram nos tempos luminosos de Mauricio de Nassau e não viram o espantalho bovino do Belchior... Dali em diante, viu-se que um boi pode voar, mesmo não tendo azas...
     Galinaceos com chifres, cabra com tres pernas, e tantas coisas semelhantes, são vulgares, nesta terra admiravel, de espantos.
     Mas um bode que da leite... é raro, inconcebivel mesmo.

UMA CARTA

     Jatobá de Tacaratú é uma cidade que se perde nas brenhas do sertão pernambucano, onde só por descuido chega uma notícia de sensação, atravez das columnas dos jornaes... O mais, as "novas" de importancia, são forgicadas ali mesmo, sob o temor de uma investida de Lampeão.
     Foi dessa localidade que recebemos, hontem, uma carta, relatando um "caso" teratologico.

NO CHIQUEIRO DE UM CIDADÃO

     À primeira risca ressalta uma pergunta: Um individuo qualquer, tem direito a possuir um bode que, contra todas a disposições naturaes, forneça leite à visinhança?
     Não se pode, realmente, determinar um a decisão em ordem. Mas, o que é real, inconstestavel mesmo, é que o sr. Manoel Patricio de Lima, residente em Tacaratú, possue no seu chiqueiro um bode que da leite.

UM BODE QUE TEM HISTORIA

     Ha pouco mais de um anno o sr. Manoel Patricio comprou um bode, um animal vulgar aquem deu o nome de "Sinhô". A compra que elle fez qualquer um mortal sem nenhuma ligação com a denza de olhos vendados, pode realizar calmamente sem precipitações...
     Comprado o bode, em pouco tempo cresceram-lhe as barbas, difiniram-se os traços de masculinidade, e em breve o heroico animal tornou-se um respeitavel pae de chiqueiro.
     Até aqui tudo vae bem!: - a compra a um bode o um bode que torna pae...
     O sr. Manoel Patricio de Lima, respeitavel cidadão de Jatobá de Tacaratú, na sua sciencia, o comprehendeu que a missao prolifedora do bode estava finda, e resolveu praticar uma certa operação, que o tornava nem bode, nem cabra... Isto é, colocava-o numa situação intermediária.
     O bode, porém, não se conformou com a sua situação indefinida.
     Um bello dia quando o sr. Manoel Patricio descançava a conciencia, viu de sob o ventre do bode surgir um protuberancia.
     Passando-se os dias, qual não foi a surpresa do sr. Manoel, ao notar que o bode passava por uma transformação super-natural - o bode possuia um peito, que fornecia leite a valer: leite para a meninada da casa, para as visinhas e para quem mais chegasse...
     O caso correu de bocca em bocca, até que um velho sertanejo, enthusiasmado com o acontecimento extra-social, enviou-nos a nova, nos entrelinhas de uma carta.
     E o bode do sr. Manoel Patricio de Lima entrou para a historia do municipio de Jatobá de Tacaratú...
__________________
Fonte: Jornal Pequeno (Recife, 28/10/1931)
Reprodução fiel ao original, conforme ortografia da época.
Pesquisa: Lúcia Xavier/IGHP (Instituto Geográfico e Histórico de Petrolândia)


0 comentários:

Postar um comentário